Socialismo e democracia

lenin_rusia
Lênin entendia que o proletariado deveria ser guiado por intelectuais ligados ao partido e associava socialismo à ditadura do proletariado. Em países democráticos da Europa Ocidental, contudo, a ideia de socialismo estava relacionada a uma visão evolucionária, democrática

Temos um partido chamado “Socialismo e liberdade”, que, apesar do nome, defende lugares onde não existe liberdade. Nos últimos anos, a direita radical que ganhou voz no Brasil e até elegeu um presidente da República, acusa diuturnamente a esquerda de defender ditaduras e chama genericamente socialismo de ditadura. Há verdade nessas acusações? Se existe, em que medida? Nesse texto vamos abordar a diferença entre socialismo e comunismo, como esses conceitos mudaram com o tempo e também o surgimento de doutrinas evolucionárias em contraposição à perspectiva revolucionária de Marx e, posteriormente, de Lênin e do partido bolchevique. Continuar lendo

Por que não existe mais comunismo nem comunistas

comunismo

Cuba, China, Coreia do Norte. Esses são os primeiros nomes que vêm à mente de algumas pessoas quando dizemos que não existe mais comunismo no mundo. Mas a afirmação de que não há mais comunismo tem um peso histórico que vai além dos rótulos desses três países.

Continuar lendo

TROTSKY

trotskyNestes cem anos de Revolução Russa, Trotsky continua a ser um dos personagens mais venerados pela esquerda. Isso se deve em parte às suas divergências de Stálin acerca da Revolução Mundial e em parte ao fato de ter sido vítima dele num atentado contra sua vida. Também se deve ao fato de Trotsky ter sido um hábil orador e excelente escritor, mas o fato é que seu papel na Revolução foi bem menos inspirador do que parte da esquerda política acredita. Continuar lendo

Os cem anos da Revolução Russa

União-SoviéticaO dia 12 de março de 2017 marca o centenário da Revolução Russa em nosso calendário (pelo calendário Juliano, adotado pela Rússia na época, essa data foi 27 de fevereiro). A Revolução de Fevereiro, como ficou conhecida, teve um viés democrático e foi liderada por socialistas moderados – os mencheviques. Ela aconteceu de forma mais ou menos espontânea, iniciando com greves e motins que tomaram a capital russa, Petrogrado, naquele dia. Logo depois o governo do czar foi deposto e um Governo Provisório foi instituído. Era o primeiro capítulo de um dos eventos que definiram o século XX.

Continuar lendo

O governo e o legado de Mao Tsé-Tung – Parte II

revolucao-cultural
Cena de tortura em um comício durante a Revolução Cultural de Mao

Esse texto continua o anterior tomando por base a obra “Mao, a história desconhecida” de Jon Halliday e Jung Chang (Editora Companhia das Letras, 2006 – Clique aqui para ler a primeira parte do texto). Após a tomada do poder em 1949, o início do governo de Mao ocorreu sem grandes rupturas. Durante alguns anos a propriedade privada foi tolerada e mesmo a coletivização da agricultura somente ocorreu após meados dos anos 1950. Mas tudo isso foi uma jogada estratégica de Mao; ele queria primeiro consolidar-se no poder para depois instituir o terror como política de Estado. No entanto, logo em 1950 uma reforma agrária foi imposta pelo governo provocando um banho de sangue no país. Continuar lendo

O governo e o legado de Mao Tsé-Tung

Mao-Tse-TungNão concordo com a ideia de que, para ser moral, o motivo de nossa ação deve ser beneficiar os outros. A moralidade não tem de ser definida em relação aos outros […] As pessoas como eu querem […] satisfazer o próprio coração, e, ao fazer isso, temos automaticamente o mais valioso dos códigos morais. Claro que existem pessoas e objetos no mundo, mas eles estão todos lá somente para mim […] Pessoas como eu têm um dever somente para consigo mesmas; não temos dever para com outras pessoas […] Não sei do passado, não sei do futuro. Eles não têm nada a ver com a realidade de meu próprio eu. […] Estou preocupado apenas com meu desenvolvimento. […] Tenho meu desejo e ajo de acordo com ele. Não sou responsável perante ninguém.  Mao Tsé Tung Continuar lendo

Socialismo e Nacional-socialismo: a esquerda e a direita autoritárias do século XX

Stalin_HitlerEm um texto anterior, discuti algumas características do comunismo a partir do recorte temporal que vai do período da tomada do poder pelos bolcheviques na Rússia ao fim da era Stálin, tomando por base a obra do historiador alemão Gerd Koenen, “Utopia do Expurgo[1]“, uma importante referência para quem quer compreender historicamente o comunismo (clique aqui para ler o texto). Um ponto importante discutido na obra é acerca da relação entre comunismo e nazismo e a qual ele dedica dois capítulos (8 e 10). Portanto, esse texto tentará responder às seguintes questões: o que havia em comum entre nacional-socialismo e socialismo? Quais as diferenças? É possível falar que as duas ideologias se encontravam em campos opostos (direita e esquerda)? Se sim, então por que ambas professavam o socialismo e até fizeram um pacto de não agressão? Se não, então por que guerrearam até a derrota completa e extinção de uma delas? Continuar lendo