Por que precisamos do politicamente correto

politicamente-corretoPara desespero de muitos que se colocam como conservadores, o politicamente correto veio para ficar, e não por acaso: se trata de uma postura voltada para a positivação de grupos que sofreram e ainda sofrem formas variadas de discriminação, exclusão e estigmatização, com destaque para negros, homossexuais e mulheres, ao que também podemos acrescentar indígenas e idosos, por exemplo. Continuar lendo

O impeachment de Dilma foi golpe?

dilma-impeachmentMuito se falou sobre impeachment e crime de responsabilidade no calor das discussões e das votações (no Congresso e no Senado) para o afastamento de Dilma. Mesmo assim, vimos uma verdadeira guerra de narrativas entre aqueles que disseminaram a ideia do impeachment como “golpe” e aqueles que falaram da legalidade do processo contra a presidente. Debates, opiniões dissonantes e paixões políticas em ebulição confundiram  muita gente. Neste texto, tentarei estabelecer um panorama explicativo sobre isso. Continuar lendo

Alguém falou em luta de classes?

proletariadoLuta de classes é um termo central das relações políticas no Ocidente desde o século 19 e é impossível pensar nisso sem remetermos a Marx, ao Manifesto Comunista de 1848 e a outras obras suas e de Engels. Naquele contexto, a luta de classes dizia respeito ao antagonismo entre o proletariado e a burguesia e, seguindo a trilha dos socialistas franceses, Marx pensou esse conflito como uma etapa que levaria ao socialismo. Ora, o socialismo não representaria ainda o fim das diferenças de classes, mas a tomada de poder pelo proletariado e o fim de sua subjugação pela burguesia. Continuar lendo

Teorias de conspiração: usos e abusos

illuminatiEm um ensaio sobre Escatologia, o historiador francês Jacques Le Goff disse que a proliferação de teorias sobre o fim do mundo (ou dos tempos) é resultado de uma história que não domina mais o futuro. Ele faz alusão às filosofias da história que, a partir de Hegel, adquiriram um sentido de apreensão do significado da história universal. As filosofias da história se desenvolveram no século 19 e são herdeiras do racionalismo iluminista, em que o passado caracterizado pela superstição religiosa e a ignorância seria suplantado, no futuro, pela ciência e sua capacidade crescente de aperfeiçoamento das habilidades humanas. O enredo da história deveria culminar com a liberdade humana e, para pensadores como Hegel e Fichte, essa liberdade estava vinculada ao Estado. Hegel desenvolveu uma concepção de história calcada em leis gerais e continuada, com nuances diferentes, pela tradição idealista alemã, o materialismo histórico de Marx e Engels e o Positivismo. Continuar lendo

A importância das políticas de ação afirmativa

poder-da-escritaA incompreensão do que sejam as políticas de ação afirmativa leva as pessoas a fazer afirmações inadequadas acerca de sua aplicação. Desde as cotas para negros e índios nas universidades e leis de proteção às mulheres, idosos, entre outros grupos, essas políticas têm como alvo grupos sociais específicos vítimas  de discriminação, violência, exclusão e têm como objetivo corrigir e atenuar a desigualdade e promover mais equalização social. Continuar lendo

Da social-democracia ao neoliberalismo

Eduard Bernstein
Edward Bernstein

O Estado de Bem-estar Social (ou Welfare State) foi uma das conquistas políticas mais importantes do século XX. Embora não haja consenso acerca de sua origem, podemos dizer que situa-se entre as décadas de 30 e 50. Sua atuação também não foi homogênea, diferenciando-se de acordo com a região onde funcionou (América do Norte e Oceania, Europa nórdica, continental e Grã-Bretanha). Continuar lendo