Alguém falou em luta de classes?

proletariadoLuta de classes é um termo central das relações políticas no Ocidente desde o século 19 e é impossível pensar nisso sem remetermos a Marx, ao Manifesto Comunista de 1848 e a outras obras suas e de Engels. Naquele contexto, a luta de classes dizia respeito ao antagonismo entre o proletariado e a burguesia e, seguindo a trilha dos socialistas franceses, Marx pensou esse conflito como uma etapa que levaria ao socialismo. Ora, o socialismo não representaria ainda o fim das diferenças de classes, mas a tomada de poder pelo proletariado e o fim de sua subjugação pela burguesia. Continuar lendo

Anúncios

Os Estados Unidos e o golpe de 1964

golpe militarHá uma tendência fora da historiografia brasileira e que se espalha na internet através da extrema direita, de que não houve nenhum apoio do governo dos Estados Unidos ao golpe militar. Essa visão se apoia na crença de que a “operação Brother Sam”, como é chamada a operação de apoio logístico dada pelo governo americano aos golpistas, foi uma espécie de invenção da KGB, visão até hoje reproduzida pela intelectualidade universitária no país. Mas essa teoria da conspiração não se sustenta.

Continuar lendo

Teorias de conspiração: usos e abusos

illuminatiEm um ensaio sobre Escatologia, o historiador francês Jacques Le Goff disse que a proliferação de teorias sobre o fim do mundo (ou dos tempos) é resultado de uma história que não domina mais o futuro. Ele faz alusão às filosofias da história que, a partir de Hegel, adquiriram um sentido de apreensão do significado da história universal. As filosofias da história se desenvolveram no século 19 e são herdeiras do racionalismo iluminista, em que o passado caracterizado pela superstição religiosa e a ignorância seria suplantado, no futuro, pela ciência e sua capacidade crescente de aperfeiçoamento das habilidades humanas. O enredo da história deveria culminar com a liberdade humana e, para pensadores como Hegel e Fichte, essa liberdade estava vinculada ao Estado. Hegel desenvolveu uma concepção de história calcada em leis gerais e continuada, com nuances diferentes, pela tradição idealista alemã, o materialismo histórico de Marx e Engels e o Positivismo. Continuar lendo

Da social-democracia ao neoliberalismo

Eduard Bernstein
Edward Bernstein

O Estado de Bem-estar Social (ou Welfare State) foi uma das conquistas políticas mais importantes do século XX. Embora não haja consenso acerca de sua origem, podemos dizer que situa-se entre as décadas de 30 e 50. Sua atuação também não foi homogênea, diferenciando-se de acordo com a região onde funcionou (América do Norte e Oceania, Europa nórdica, continental e Grã-Bretanha). Continuar lendo

Para quem é a história?

historia-livrosNossa época vivencia um crescente interesse por temas históricos, desde guerras e histórias regionais até biografias. Se você for a uma banca de revistas, verá vários periódicos especializados em temas históricos, como a Aventuras na História, História Viva, Revista de História da Biblioteca Nacional e por aí vai. O mercado editorial tem aproveitado bem essa demanda por história com publicações voltadas para o público não especializado, ou seja, para as pessoas que não cursam ou não são formadas em história. Nesse passo, é importante questionar o que tem gerado tanto interesse por história e a quem essa procura beneficia?  Continuar lendo