O ateísmo pode ser considerado religião?

religiaoProvavelmente alguns leitores já devem ter ouvido expressões do tipo: “o ateísmo também é uma religião”, “os ateus também acreditam em algo, como a inexistência de Deus”, “é uma crença como a religião”. Embora quem diga isso às vezes pretenda ser inteligente, na verdade está sendo o oposto porque parte de uma confusão conceitual que não explica nada. Continuar lendo

Esquerda e direita não se definem por intervenção estatal

Primeira Guerra MundialUma das coisas que muito se fala na internet é que esquerda e direita se definem pelo tamanho do Estado, ou seja, a esquerda seria mais Estado e direita menos Estado, a esquerda é um Estado forte e intervencionista e a direita um Estado liberal, com pouca ou nenhuma intervenção, especialmente na economia. Em geral, são os liberais que dizem isso. E nada poderia ser mais falso.  Continuar lendo

Por que o nazismo era de direita

desfile-tropas-nazistasA confusão que se faz em relação ao nazismo e aos conceitos de direita e esquerda ainda produz muita desinformação na internet. Recentemente, um importante site de notícias veiculou uma matéria questionando se o nazismo era de esquerda ou direita. Entre os vários especialistas entrevistados não houve consenso sobre o assunto, embora ninguém tenha apontado o regime como “de esquerda”. A falta de consenso se deveu ao fato de uma professora explicar o nazismo como “terceira via”, uma alternativa ao socialismo e ao liberalismo. Isso é verdade, mas é preciso dar nome aos bois: nos anos 1920 e 1930 o que se pode chamar de terceira via era a extrema-direita. Continuar lendo

O que Fukuyama realmente escreveu em “O fim da História…”

fim do comunismoO livro O Fim da História e o Último Homem, do filósofo Francis Fukuyama, completa vinte e cinco anos. Publicado em 1992, teve origem em um artigo intitulado O Fim da História?, publicado três anos antes, em 1989 na revista The National Interest. Poucas obras que vieram a público neste mesmo espaço de tempo causaram tanta celeuma quanto esta. Celebrada por alguns e odiada por outros, o mundo acadêmico não ficou indiferente a ela. Hoje, com uma leitura atenta da obra e um olhar mais acurado sobre o contexto, é possível inferir que Fukuyama não foi bem compreendido por muitos e possivelmente nem lido por outros tantos. Então, ainda vale perguntar: o que ele realmente escreveu ali?

Continuar lendo

Os cem anos da Revolução Russa

União-SoviéticaO dia 12 de março de 2017 marca o centenário da Revolução Russa em nosso calendário (pelo calendário Juliano, adotado pela Rússia na época, essa data foi 27 de fevereiro). A Revolução de Fevereiro, como ficou conhecida, teve um viés democrático e foi liderada por socialistas moderados – os mencheviques. Ela aconteceu de forma mais ou menos espontânea, iniciando com greves e motins que tomaram a capital russa, Petrogrado, naquele dia. Logo depois o governo do czar foi deposto e um Governo Provisório foi instituído. Era o primeiro capítulo de um dos eventos que definiram o século XX.

Continuar lendo

Caçadores de comunistas

foro-de-spNasci em 1983. Quando me entendi por gente, o Brasil já vivia na democracia e a Guerra Fria chegava ao fim. Lembro das imagens da Guerra do Golfo na TV, os jornalistas falando em Saddam Hussein e o Estados Unidos esbanjando para o mundo parte de seu repertório militar. De janeiro de 1992 em diante, ninguém falava mais em comunismo. O mundo havia mudado e eu aprenderia isso alguns anos mais tarde, ainda naquela década, no Ensino Médio. Continuar lendo