Marxismo cultural ou a burrice ideológica de direita

Antonio-Gramsci
Antonio Gramsci

O maior problema da direita no Brasil é ser desonesta, tanto intelectualmente como em todos os sentidos. Isso está em seus vídeos, discursos e nos livros sem nenhum valor acadêmico que eles lançam quase diariamente.

Para tomarmos um exemplo, Leandro Narloch usou o historiador inglês Ian Kershaw para dizer que Hitler era socialista citando a mesma obra em que Kershaw diz exatamente e categoricamente o contrário. Só por essa adulteração cínica, seu livro deveria ser banido do mercado editorial.

Em editorial na Folha de SP em 2013[1], Idelber Avelar, professor de literatura em Tulane, nos Estados Unidos, destruiu o Guia Politicamente Incorreto da história do mundo de Narloch afirmando que o autor faz “simplismo atroz”, que ele chega ao “limite do mau gosto”, é tão ideológico quanto a ideologia que pretende criticar e é “superficial” quando fala de nazismo e comunismo.

Qualquer estudante secundarista minimamente informado e que leia o livro de Narloch verá o quanto a crítica de Avelar é certeira. Narloch não é historiador, nunca realizou qualquer pesquisa na área e é jornalista da Veja. Ora, todo jornalista da Veja é um militante pago e se eles não fazem bom jornalismo é de se esperar que seus livros também sejam a mesma coisa.

Agora é senso comum na direita falar em “marxismo cultural”. De forma resumida, eles entendem que seria como uma ação conjunta de governos e instituições para demolir os valores do Cristianismo e impor um relativismo cultural e leis a favor do aborto, do casamento homoafetivo, da pedofilia, entre outras coisas, além de um controle estatal da economia e da cultura que implantaria o comunismo paulatinamente sem necessidade de uma revolução proletária. Tudo isso teria inspiração em autores tão distintos como Gramsci, a Escola de Frankfurt, Foucault e outros. Para eles, o PT já estaria fazendo isso no Brasil.

É uma teoria no mínimo muito criativa e engraçada, é preciso admitir. Fora isso, não passa de um expediente conspiratório patético e infundado. Mesmo assim, tem ganhado adeptos entre turbas enormes de gente inculta que lê autor que nunca passou da terceira série primária, Veja, apoia Bolsonaro, MBL ou segue canais de gente débil mental como Nando Moura e padre Paulo Ricardo.

Pra quem é escolarizado, é desnecessário dizer que não existe e nunca existiu marxismo cultural. A Escola de Frankfurt foi fundada em 1923 pelo economista austríaco Carl Grunberg. Foi iniciada como um Instituto para a pesquisa social e na primeira fase objetivava desenvolver pesquisas sobre o movimento operário e o socialismo. A partir de 1931 foi dirigida por Max Horkheimer e agregava intelectuais de influências distintas como Adorno, Walter Benjamin e Erich Fromm. A Escola passou por momentos diversificados; o mais conhecido diz respeito aos trabalhos desenvolvidos a partir da década de 1940, que tinha como eixo central a crítica da civilização técnica. A partir desse momento a reflexão teórica se afasta do marxismo revolucionário para analisar questões como o totalitarismo, a uniformização dos indivíduos ou a liberdade de ação na história.

Não havia unidade de pensamento na Escola de Frankfurt, mas alguns traços gerais se destacavam como a crítica à racionalidade histórica na abordagem hegeliana e marxista e a crítica à noção de progresso no pensamento moderno.

Gramsci, tão odiado por nossa direita inculta como uma espécie de Nostradamus comunista, uma mente onisciente que conseguiu prever o futuro com décadas de antecedência, foi um autor muito lido no Brasil nos anos 80 e até início dos 90, mas hoje relegado a um plano secundário. Por fim, Foucault não era marxista.

Marx, marxismo, comunismo. A direita atribui a isso uma importância que não possui em nossa sociedade nem nas universidades. Não existem mais países comunistas, movimentos, partidos nem lideranças comunistas. Não importa. A demonização do PT nos últimos anos contribuiu para que essa demência se espalhasse tão rapidamente na internet como a lama da Samarco no rio Doce e não é preciso estudar nada pra falar algo a respeito, é só repetir alguns lugares-comuns e ser aclamado nas redes sociais. É o caso de Kim Kataguiri, um menino secundarista que um jornal desesperado por assinantes chamou para ser colunista. Hoje, o anti-petismo dá ibope, não importa o quanto prosaico ele seja e é por isso que Kim está na Folha.

Em novembro de 2015, Kataguiri deu uma entrevista para o portal DW Brasil[2] afirmando que nunca apoiou Eduardo Cunha (o que todos sabem ser mentira) e mostrou o quanto sofre de confusão mental: ele quer a privatização da educação mas critica o governo por ter reduzido o repasse de verbas para a educação. Ele quer privatização de empresas estatais e quando o entrevistador expôs a importância da participação do governo na reestruturação da economia norte-americana, ele engasgou e tergiversou. O fato de Kataguiri ter sido elevado a líder dessa direita apenas deixa claro que esse movimento não tem norte, não tem referenciais, nem qualquer coerência de ideias.

A direita no Brasil não tem um conjunto de princípios definidos, sua agenda é toda anti-petista e sua retórica gravita em torno de um projeto de desconstrução: das políticas sociais, das conquistas das minorias, dos direitos trabalhistas e do papel do Estado na economia. Qualquer um que se levante contra a “ameaça comunista” no Brasil, não importa o que mais possa dizer, é aclamado como líder. É o caso de Bolsonaro. Eles não se preocupam com racismo, concentração de renda, desigualdades regionais, ausência de políticas públicas eficientes. Ao contrário, eles endossam tudo isso.

A direita aqui não tem um rosto definido, mas não quer ver o negro entrar na universidade por cota nem o pobre receber bolsa família e tem medo da discussão de gênero nas escolas. Historicamente, apenas o rico recebeu benefícios da máquina pública no Brasil e todo o ódio dessas pessoas ao PT não é ódio à corrupção, mas principalmente contra as políticas sociais, que foi exatamente o que o PT fez de certo.

Essa direita quer ser liberal mas só quer ler Mises, um autor que ocupa um lugar marginal na história do pensamento liberal e foi apenas um divulgador prosaico do liberalismo. Há um desprezo notável deles pelo saber acadêmico e seu gesto de abandonar o debate qualificado nesse espaço para vociferar insultos ou teorias conspiratórias na internet é um indicativo de que não querem realizar nenhum trabalho sério, como de fato não realizam.

Eles querem imitar certa direita dos Estados Unidos, mas nem como copiadores do Tea Party conseguem se sair bem. Eles não entendem, por exemplo, que políticas sociais e para minorias que eles chamam de “marxismo cultural” são de caráter social-democrata e também estão relacionadas a um pensamento político liberal que tem origem nos Estados Unidos. E não entendem porque não estudam. Nos territórios que essas pessoas circulam nada precisa ser provado e tudo pode ser dito e acreditado. Para usar um termo de Avelar, a desonestidade desses indivíduos chega ao limite do mau gosto.

O caso dessas pessoas não é para refutação, é o caso de mandá-los de volta para o ensino fundamental. Às vezes é caso de polícia também.

Notas

[1]http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/08/1327620-opiniao-trabalho-e-tao-ideologico-quanto-a-ideologia-que-quer-combater.shtml

[2]http://www.dw.com/pt/nunca-fomos-aliados-de-cunha-afirma-ativista-kim-kataguiri/a-18833306

Leia também: 

Por que Marx ainda assusta os conservadores?

Marx ontem e hoje 

Irracionalismos da direita brasileira

Anúncios

52 comentários sobre “Marxismo cultural ou a burrice ideológica de direita

  1. Rafael 21/02/2016 / 0:17

    Professor, parabéns, mais um excelente texto que define bem essa nova direita que apareceu se definindo só pelo “antes qualquer coisa que esteja contraria a nossa moral cristã”.Não acho que todo mundo da direita seja assim, só lamente alguns , como alguns amigos, terem uma interpretação tão simplista da história.O senhor já leu o livro Uso e Abusos da História da autora Margaret Macmillan? Cito ele porque estou lendo, é estou achando um ensaio muito bom, aborda questões como “divida histórica”, memoria etc, e acho que as reflexões que ela faz durante o livro muito pertinentes e que podem facilmente ser trazidas para o Brasil. Também queria lhe propor que fizesse textos falando das simplificações sobre história que é feita na internet, descosntruindo algumas e até mesmo mostrando como desconstruir elas, seja feita pela direita, esquerda ou qualquer louco, porque as vezes as pessoas comuns(às vezes da área, eu mesmo acho minha formação precária, e ter que saber 2 mil anos de história complica responder questões que demando de mais conhecimento, principalmente quando é pra se enfrentar pessoas que mentem e que usam qualquer coisa como fonte) tem duvidas e não tem nenhuma fonte simplificada para tirar essa duvida, dai acabam acreditando em besteria por causa do discurso dos loucos que infelizmente são bons comunicadores. É triste saber que a maior parte dos historiadores, sejam professores ou acadêmicos, se excluem dessa discussão, deixam a internet de lado quase como se ela não formasse opinião ou influenciasse as pessoas, na verdade, infelizmente existe pouca produção de historiadores para o publico.Mais uma vez parabéns pelo trabalho, por abordar esse temas.

    • Bertone de Oliveira Sousa 21/02/2016 / 0:21

      Olá Rafael, já li sim esse livro da Margaret Macmillan, é uma manual muito bom. Tenho escrito bastante sobre reducionismos históricos aqui, principalmente relacionados a questões mais atuais. Veja, por exemplo, os temas “direita/esquerda” e “política” aí no menu. Abraço.

      • Rafael 21/02/2016 / 0:27

        Sim, professor já li esse textos,são ótimos, já até usei bastante esse sobre esquerda e direita. Imagino que seu tempo é limitado(aulas, orientações e outras coisas de faculdade), mas espero que continue produzindo. E o senhor conhece o canal de youtube xadrez verbal? Acho a abordagem dele boa e acessível pra um maior publico

      • Bertone de Oliveira Sousa 21/02/2016 / 0:30

        Rafael, não conheço esse canal. Realmente, às vezes falta tempo mas sempre haverá publicações. Abs.

  2. Érico 21/02/2016 / 2:01

    Olá professor.
    Outro dia eu postei uma resposta errada aqui no blog do senhor, eu estava tão distraído que nem percebi onde eu estava digitando. Depois disso tentei remediar postando uma desculpa, agora volto aqui e pra pedir desculpa mais uma vez. (acho que era evidente que a resposta estava no lugar errado não fazia uma gota de sentido, rsrsrsrs)

    Professor, o senhor também acha que o governo tem culpa nessa mania conservadora que assola as redes sociais? Digo, se o governo tomasse alguma atitude contra esses jornalistas que batem no PT sem nenhum compromisso com a verdade sofressem algum tipo de punição poderia melhorar em alguma coisa?

    O culpado por essa onda conservadora não é o próprio PT? E é verdade que isso pode arrastar, numa espécie de vórtice, as pessoas que se enxergam como de esquerda?

    Eu pergunto isso porque hoje em dia tenho sofrido ataques de pessoas próximas a mim que nem esquentavam com política, mas hoje se dizem de direita, a favor do estado mínimo e alguns a favor de golpe militar.

    Isso tá chato pra caramba, hoje em dia tu nem pode falar que é de esquerda que nego já te fuzila antes de qualquer argumento.

    Um abraço.

    • Bertone de Oliveira Sousa 21/02/2016 / 14:46

      Érico, recebi sim sua retificação, fique tranquilo.
      Na verdade, o PT é o principal responsável por essa ascensão conservadora. Ao fazer mensalão e petrolão o PT arruinou moralmente toda a esquerda e abriu uma larga porta para que essa ignorância e incultura ganhasse terreno. Se as esquerdas não buscarem uma renovação sem o PT esse quadro tende a agravar.

      • eduardo 04/04/2016 / 19:02

        Cara ,acho que o Brasil tem uma mentalidade conservadora congenita(nao estou dizendo que seja ruim).Acredito mesmo que essa “ascensao conservadora” e algo que comecou a se fomentar la pelos idos do primeiro mandato de Lula(talvez ate antes,ja que uma parcela da direita achava o goberno fhc um pouco a esquerda)Intensificou agora por motivos:a “direita” frustrou-se em 2014

  3. Questões Relevantes 21/02/2016 / 11:21

    Bertone, fiquei com a impressão que você cometeu alguns dos erros de que acusa “a direita”.

    Minha leitura desta realidade é outra: existe um contingente numeroso e barulhento à direita e à esquerda que sofre do que chamo de “orgulho da própria ignorância”.

    Não é o seu caso, tenho certeza, mas infelizmente mesmo nas universidades encontramos muita gente que só aprende por osmose ou por ouvir dizer, quando aprende.

    Há vida inteligente à direita e à esquerda, mas nos dois casos trata-se de uma minoria que, no Brasil, mereceria proteção do IBAMA.

    Outro ponto: sempre acho mais importante O QUE está sendo dito do que QUEM está dizendo. Isto é fundamental para reconhecer acertos e formulações relevantes de pessoas das quais costumamos discordar, bem como reconhecer os equívocos daqueles com quem temos mais afinidades.

    Por último, a título de curiosidade, deixo abaixo o link para um artigo que utiliza como ilustração a mesma foto deste seu artigo: O REACIONÁRIO E O LIBERTÁRIO: QUEM É QUEM?
    http://wp.me/p4alqY-dd

  4. Paulo 21/02/2016 / 14:21

    Com todo respeito, o senhor deveria conhecer o Brasil rural e constatar a situacao de miseria em que esta nosso povo. Nas universidades entram semianalfabetos e se graduam semianalfabetos. A nossa pos graduacao esta gerando dissertacoes e Teses sem nexo. Em resumo, a ciencia no Brasil esta na UTI. Estamos voltando a ser meros produtores de graos e minerios para exportacao. Neocolonialismo inaugurado pelo PT.Para escrever deveremos sair dos gabinetes.
    Desculpe os erros na acentuacao. Nao domino o teclado do tablet.

  5. Lucas 21/02/2016 / 18:12

    Olá, Professor Bertone, bom como eu já afirmei aqui não me considero de direita (embora eu tenha alguns valores desse aspecto) nem de esquerda (compartinho sua crítica em relação ao modelo neoliberal capitalista,só com revés mais anti-modernista e tradicionalista). Considero que o meu pensamento político sempre esteve em constante evolução por isso não posso se definido ideologicamente, aliás desde da minha adolescência qual era um anarquista heterodoxo passei para direita monarquista-conservadora quando amadureci, hoje se fosse me defini bem me qualificaria como um social-identitário, um socialista identitário ou um socialista conservador do estilo de um Oswald spengler, um Georges Sorel , um Werner Sombart, um Otto Strasser ou um Johann Plenge ou ainda um tradicionalista revolucionário do estilo de Evola. Ambos autores eram de um movimento chamado revolução conservadora (mais informações nesse link aqui: http://pt.metapedia.org/wiki/Revolução_Conservadora).
    Minha dúvida é seguinte;
    1- Qual sua opinião a respeito da escola de Frankfurt?, alguns marxistas considero esse movimento uma espécie desvio do projeto revolucionário, uma forma de idealismo burguês acha que eles estavam correto em qualificar esse movimento?.
    2-Conhecer o trabalho dos filósofos Alain de Benoist, Alexander Dugin ou Julius Evola?, o que pensar a respeito desse movimento?.

    • Bertone de Oliveira Sousa 21/02/2016 / 18:25

      Lucas, que a Escola de Frankfurt se desviou do projeto do marxismo revolucionário, isso é fato. E eles o fizeram porque perceberam a mudança de conjuntura que não era mais favorável a isso. Mas chamar de “idealismo burguês” não é uma caracterização do movimento mas um rótulo falso e preconceituoso. Quanto aos outros autores, só direitoides radicais levam essa turma a sério.

      • Lucas 22/02/2016 / 11:50

        Bom senhor Bertone, lembrado quem classificou a Escola de Frankfurt como “idealismo burguês“ foram autores marxistas ortodoxos radicais que leem somente Marx ou outros autores marxistas, não fui eu. Bem de qualquer modo esses mesmos radicais de esquerda só leem Marx da vida , assim aliás como neoliberais e neoconservadores só leem um Olavo de Carvalho da vida por ano e acham que já tem uma bagagem intelectual suficiente para discutir questões que englobam a pós-modernidade, esses autores marxistas desmerecem totalmente o trabalho de autores desse movimento como autores que influenciaram Escola de Frankfurt e sua teoria crítica como Kant,Hegel,Max Weber ou Freud (a qual Escola de Frankfurt reconheceu importância desses autores para época contemporânea). Eu próprio já fui e sou bastante hostilizado tanto pelo pessoal da direita ultraliberal e conservadora como pela esquerda comunista, devido minhas ideias pouco ortodoxas. Não gosto de rotular ou classificar alguém ao meu bem prazer, sou antidogmático e rejeito toda forma intimidação intelectual e fanatismo político que impera em nossa sociedade atualmente e sou contra toda forma de violência política!.
        Sobre os autores que eu citei principalmente Benoist e Dugin, a qual os direitoides não reconhecem como sendo de direita (inclusive Olavo de Carvalho, sim o mesmo padrinho dos neoconservadores brasileiros, já debateu com Dugin e inclusive acusou o mesmo de ser um satanista e um comunista infiltrado da KGB com sonho de restaura União Soviética criar uma nova ordem mundial comunista, ambos são inimigos declarados e acusou de Benoist de ser um nazi-esquerdista ), ambos não se consideram de direita, pelo contrário declaram a morte da velha direita e são influentes na chamada Nouvelle Droite (nova direita que a qual ambos rejeitam esse movimento) pois ambos tem influências Gramsci e Stálin respetivamente, de fato, eles não são direita (com exceção de Evola é claro e um reacionário radical e anti-modernista notório), Alain de Benoist e Alexander Dugin são autores inclassificáveis em termos ideológicos, devido síntese que fizeram ideias tanto da direita radical com esquerda radical, ambos tem em comum influência de Heidegger,Nietzsche e Evola em seus trabalhos. Ambos são críticos conhecidos do sistema neoliberal imperialista, da economia de mercado, da cultura de massas, da democracia liberal,dos direitos humanos e do desencantamento do mundo,e ambos simpatizam com os povos do terceiro mundo, ambos rejeitam o racismo ocidental, ambos rejeitam rótulos ideológicos e são ambos apoiam re-encantamento do mundo, ambos apoiam um mundo multipolar. Diferença entre ambos é Dugin tem um projeto geopolítico mas claro do que Benoist, e Benoist é um pagão e enquanto Dugin é um cristão ortodoxo, Benoist um pouco internacionalista e Dugin um nacionalista pan-russo, Dugin focar seu trabalho superação das pós-modernidade e no sujeito social, e enquanto Benoist foca um pouco mas na religião. Há alguns trabalhos de Dugin traduzido para nosso idioma, um deles é A Quarta Teoria Política, a qual o autor foca nas três ideologias da modernidade que são o liberalismo,comunismo e fascismo e tenta uma superação delas por meio de uma síntese alcançada por meio do conceito de Dasein heideggeriano. Evola tem poucos trabalhos traduzidos principal deles é Revolta contra mundo moderno, Benoist não possui livros traduzidos para português, mas tem bastante artigos traduzidos ao nosso idioma em seu site e no Legio Victrix.

      • Bertone de Oliveira Sousa 22/02/2016 / 13:51

        Lucas, entendi a questão do idealismo burguês, não atribuí isso a você. Os marxistas ortodoxos sempre foram muito redutivos ao falar de vertentes com a qual não concordavam.

        Outra coisa é que não existe “nazi-esquerdismo”. Sei que você falou isso atribuindo ao Olavo, mas o Olavo emburrece as pessoas, é limítrofe e fala coisas sem fundamento. Ninguém que segue ele pensa ou diz coisa com coisa. Sobre esses autores, eles se encaixam naquilo que Rouanet chamou de “emergência de um novo irracionalismo” na obra “As Razões do Iluminismo”. Se for pra pensar o mundo contemporâneo eles não têm qualquer relevância, só extremistas dariam algum valor a essas baboseiras.

  6. Pedro Sousa 22/02/2016 / 1:02

    Professor Bertone, seu artigo vai direto ao ponto central do que se tornou a militância a direita. Quando ler novamente os argumentos repetitivos, as meia-verdades, a histeria conspiratórias dessa direita, imediatamente vou me lembrar desse artigo.
    Nunca pensei que diria isso, mas Roberto Campos está fazendo falta.
    Abraços.

  7. Carlos 22/02/2016 / 10:21

    Bom dia Professor.

    Caro professor Bertone, gostaria que escrevesse algo sobre a figura do Bolsonaro, emitindo seu parecer pessoal e politico sobre o fenômeno em torno de sua figura politica.

  8. kadumauad 22/02/2016 / 15:06

    Olá, Bertone,

    Sempre que posso, acompanho seus textos semanalmente. Neste, em especial, chamou-me a atenção o predicativo “débil mental”, quando se refere a padres ou similares. Seria desqualificar o discurso, quando se fala, justamente, em qualificá-lo?

    Obrigado pela atenção dispensada Kadu Mauad

    Em sábado, 20 de fevereiro de 2016, BERTONE SOUSA escreveu:

    > Bertone de Oliveira Sousa posted: “O maior problema da direita no Brasil é > ser desonesta, tanto intelectualmente como em todos os sentidos. Isso está > em seus vídeos, discursos e nos livros sem nenhum valor acadêmico que eles > lançam quase diariamente. Para tomarmos um exemplo, Leandro Narl” >

    • Bertone de Oliveira Sousa 22/02/2016 / 15:13

      Kadu, eu não chamei os padres de débeis mentais, chamei um padre olavete que reproduz o discurso de “marxismo cultural”. Olavetes falam em marxismo cultural não como um discurso passível de argumentação, porque não é, mas como instrumento de acusação e calúnias contra intelectuais e professores, principalmente. São devaneios ideológicos pronunciados por pessoas extremistas e desequilibradas. Nenhum debate qualificado é possível com esses indivíduos.

  9. Lucas 22/02/2016 / 15:44

    Sobre Olavo de Carvalho eu concordo totalmente senhor, nada que ele diga é relevante para sociedade como um todo muito menos construtivo em relação um debate civilizado,somente seguidores imbecis dão ouvidos a ele. Eu apenas citei ele para ilustração demência desse senhor em qualificar qualquer um que não se encaixe no mundinho autista dele,como esquerdista.
    Então eu me considero sou um radical por dá ouvidos esses senhores!. Desculpe senhor Bertone, mas deixei eu discordo civilizadamente do senhor a respeito desses senhores, parece que vosso senhor desconhece ou desconsidera propositalmente esses autores devido esses mesmos senhores não serem do mesmo viés ideológico seu, agora afirmar que eles não tem nenhuma relevância para sociedade contemporânea é um equivoco ,uma vez influência que esses senhores tem exercido em seus respectivos países é grande e inegável, Dugin por exemplo foi conselheiro de Putin inclusive como idealizado anexação da crimeia para Rússia, seus livros são obrigatórios nas academias militares da Rússia. As ideias de Alain de Benoist na cena intelectual francesa tem crescido ano após ano, inclusive já foi elogiado por Michel Onfray um importante intelectual de extrema esquerda, há quem diga que sucesso do nacionalismo da Frente Nacional se dever a muito Alain de Benoist, muito embora ele tenha afirmado que não seja nacionalista, ele tem escritor obras contra nacionalismo, agora irá disse que as academias russas ou sociedade francesa só há extremistas?. Entenda eles não são intelectuais tão marginais assim como senhor afirma, é evidente que eles não tem a mesma influência de por exemplo de um Jünger Habermas na sociedade contemporânea, que esse último é pensador do sistema, mesmo assim eles conseguem incomoda o sistema mesmo assim, mas esses senhores estão longe de serem lidos somente por meia duzia de “radicais de direita“ como senhor afirma, aliás qualificaram assim é uma forma reduzir por base de preconceito ideológico, pensadores que não se encaixo mesma linha ideológica sua ou até mesmo a minha. Mas concordo eles podem serem encaixado como uma um novo movimento irracionalista…

    • Bertone de Oliveira Sousa 22/02/2016 / 21:37

      Lucas, não se trata de desprezo por “viés ideológico”, nem de “preconceito ideológico”. Também não estou dizendo que eles não exercem nenhuma influência, mas que sua obra não tem peso acadêmico nem relevância fora dos círculos que lhes dão crédito. E Michel Onfray não é autor de extrema esquerda. Ele defende uma postura libertária mas isso não o coloca como extrema esquerda. Você está confundindo alhos com bugalhos. Quando discuti com Olavo, ele se gabou de já ter sido elogiado por intelectuais brasileiros, muitos que nem são de direita. Mesmo assim, o que ele escreve não tem importância filosófica, não tem valor acadêmico. É só porcaria ideológica. Isso não quer dizer que ele não seja lido. Ele influencia gente como Feliciano, Bolsonaro pai e filho, Sheherazade e até alguns professores universitários. É por isso que falei deles como parte de um movimento irracionalista. Cada país tem um maluco desse tipo que fala coisas bizarras e até arrebanha adeptos, dentro e fora do poder.

      • Lucas 23/02/2016 / 9:41

        Entendo sua linha de raciocínio, embora eu não concordei com ela totalmente eu respeito sua tese. Mas volto repeti aqui que esses autores são diferentes de pensadores com mais peso por assim disse como um Habermas que é um pensador mais do sistema na minha opinião, embora seus pesos intelectuais em seus países são diferentes variam com forme as sociedades que vivem, pois esses pensadores são pensadores anti-sistema, então é se espera eles não sejam tão conhecidos não tem mesma publicidade por assim disse como por pensadores mais pops como Habermas, Slavoj Zizek ou Roger Schuton (gostaria se pudesse de saber sua opinião a respeito desses autores) mesmo assim suas influências não se limitam apenas seu próprio circulo de “discípulos radicais“, na verdade ela ultrapassar esse circulo limitado é chegam até mesmo a cultura de massa (Alain de Benoist tem duas revistas conhecidas e um jornal alternativo muito conhecido na frança, Dugin era professor universitário em Moscou).
        Na verdade nunca vi esses pensadores se “gabando“ de serem elogiados por quem quer que seja (sei que vosso senhor não disse isso sobre eles,estava se referido somente a Olavo de Carvalho), mesmo eles sendo verdadeiros mestres do pensamento e grandes intelectuais e verdadeiros eruditas,percebo neles uma certa humildade que um Olavo de Carvalho certamente nunca terá, além de construírem verdadeiras obras de grande beleza literária que estão longe serem colocados ao mesmo nível da porcaria não-filosófica desse canalha do Olavo de Carvalho escreve (tenho sérias dúvidas a respeito do estado mental desse senhor quando escreve), na verdade eles estão um nível muito elevado para serem qualificados do mesmo lixo ideológico textual de um Olavo de Carvalho da vida.
        Sobre Michel Onfray ele se considera um anarquista-individualista ou um libertário (há controversas a respeito desse rótulo), não conheço muito o trabalho dele, ele é um autor bastante recente para mim, mas o eu posso disse que acompanho o caso Benoist (assim que impressa francesa qualificar esse incidente), a qual ele acha as ideias de Benoist ideias justas se que ele tinha mais em comum com ele do que com Bernand-Henri Lévi (acho que é assim se escreve nome dele, que ele é um importante intelectual liberal francês) , qual acabou provocado uma grande controversa na França, inclusive o próprio primeiro-ministro francês qualificou Onfray de um irresponsável por fazer tal declaração.
        Na verdade eles não são malucos ou daqueles intelectuais que acreditam em teorias de conspiração como tipo um Olavo de Carvalho ou qualquer outro imbecil ideológico acredita, estão longe de serem qualificados como um bando de loucos simplórios, na verdade se me permitem disse algo respeito deles são verdadeiros grandes intelectuais, verdadeiros eruditas e mestres do pensamento de nossa época,verdadeiros messias e visionários do pensamento contemporâneo eles são um diviso de águas divina para humanidade e para seus respectivos países. Não me considero um desses adeptos fanáticos, me considero antes de tudo um amante e admirador das ideias dos senhores Dugin e Benoist (tenho bastante ressalvas a respeito do primeiro do que em relação ao último), pois sou bastante crítico e cético a respeito projeto eurasiano de Dugin ou da repaganização do Ocidente de Benoist (assim como eu sou cético,crítico e pessimista a respeito da afirmação da razão e de uma nova razão crítica não instrumental ou razão comunicativa, me considero bastante irracionalista nesse aspecto) talvez seja por isso esse certo irracionalismo meu que eu de certo modo reconheço certa influência de Benoist e Dugin além de Evola e de sua escola de pensamento no meu próprio pensamento e minhas próprias ideias.

      • Bertone de Oliveira Sousa 23/02/2016 / 13:21

        Quando vejo alguém tratar um autor como “messias”, independente de que autor seja, encerro o debate. E, já que você reconhece o próprio irracionalismo, não há mais o que dizer.

  10. Rodrigo Ferraz 23/02/2016 / 14:29

    Blá, blá, blá… mimimi… Fraude intelectual é esse texto! Não existe marxismo cultural então? Isso é uma invenção fantasiosa e conspiracionista? Gramsci não escreveu nada tratando disso? O próprio Marx não falou disso, dessa derrubada de valores religiosos? Você é tão ideólogo de esquerda que não quer enxergar isso ou é um MAV? Até acho que não, pois às vezes diz coisas fundadas quanto ao PT, mas não trata sem se abster do pensamento à esquerda. Enfim, comete neste texto o que acusa nele próprio, só que em relação à direita. Errar é humano, como bem diz o ditado, porém não dá para negar que Nando Moura lê mais que a maioria dos que postam vídeos na Internet, para não falar do Olavo e do Padre Paulo Ricardo, não são brucutus intelectuais e, sim, dão soluções bem mais honestas que seu texto a problemas atuais de nossa sociedade. Já o Bolsonaro, não é nada disso, mas o povo brasileiro está carente de um político que não se meta em corrupção nem se alinhe à escória mundial, e além disso, fale e tente problematizar o que realmente importa para o povo, por exemplo segurança e educação, não com um discurso demagogo, mas com soluções próximas e reais. Estamos cansados de bandidos e queremos que sejam presos e que paguem uma pena justa, por exemplo. Outro ponto é o projeto de poder do PT, aliás, da esquerda. Ou não? O discurso de democracia existe na esquerda, mas é falacioso. Ou não? Enfim, a maioria do povo brasileiro hoje quer distância do PT, mas também do PSOL, PCDOB, PSTU, PSB, PSDB, REDE, PV, entre tantos outros. Mais Macri, menos Lula.

  11. Lucas 23/02/2016 / 14:32

    Só um minutinho em nenhum momento aqui disse que eu estou fechado há opiniões contrárias a minha nunca afirmei o contrário, agora eu não sou dogmático como eu tenho afirmado algum tempo aqui em seu espaço, posso mudar meu ponto de vista qualquer momento, estou sempre aberto a mudanças, o que eu disse aqui que eu não acredito numa razão crítica não-instrumental ou numa razão comunicativa, que nesse aspecto me sinto um tanto confortável ao irracionalismo!.
    Agora tanto que isso é verdade que tenho debatido com senhor de modo respeitoso e senhor tem me respeitado (inclusive aprovado todos os meus comentários mesmo sendo contrários sua opinião) até o presente momento senhor tem sido exemplar em seu comportamento, agora eu tenho o meu pensamento isso é uma coisa outra é que eu nunca disse ou desrespeite vosso senhor ou qualquer outro leitor desse espaço, agora muito pelo contrário vi aqui ao seu blog, pois justamente acompanho opiniões contrárias minha tanto que eu gosto de entende e debate de modo respeitosa os pontos de vistas contrários aos meus desde que haja compreendimento e respeito de ambas as partes envolvidas nesse aspecto. Agora eu tenho minhas próprias opiniões assim como eu tenho certeza que o senhor e qualquer outra pessoa tem suas próprias opiniões, que de certo modo me exprimir de modo exagerado é verdade, posso parece um tanto fanático ou dogmático, isso só é impressão isso posso garantir.

    • Rosa Fornari 31/01/2017 / 1:01

      Não precisava se explicar, Lucas. Entendo o ponto do Bertone e entendo também o seu, assim como muitos outros leitores aqui frequentes. Infelizmente não recebeste respostas decentes e com o devido respeito, tento em vista sua argumentação e polidez na discussão.
      Não tenho opinião formada sobre Benoist e Evola, pois pouco li e boa parte foi remissivo, já em relação ao Dulgin, li ‘a quarta teoria política’ e fiquei muito confuso, pois há uma quimera entre interpretações filosóficas e sociológicas incompatíveis, fazendo com que suas proposições caiam em idealismo exarcebado… De todo não é ruim, e me parece que no Brasil uma parcela da esquerda mais exaltada e conservadora está começando a lê-lo (sem muito difundir ainda) em resposta aos efeitos de teóricos e ideólogos da pós-modernidade, principalmente por esta estar sendo considerada pela direita conservadora como “baitolagem”,”desvio moral”, “mimimi” e por aí vai… No entando, estou cético quanto a uma maior difusão. O mundo entrou em uma era e não uma simples epoca (definitiva ou não) onde o indivíduo buscará cada vez mais autonomia e rejeitará qualquer plano externo que os inclua como ferramenta… mesmo que tratando de movimentos relacionados a contenção de catástrofes ambientais!

  12. Pedro Henrique 23/02/2016 / 21:57

    Bertone voce acredita que a polarização ideológica no Brasil só tem capacidade de se acentuar?
    Estava relendo um de seus textos sobre esquerda/direita e após recordar de um video no canal Xadrez Verbal onde o historiador Tony Judt fala sobre como o debate ideológico esta muito radical nos dias de hoje. Tal situação pode revitalizar a intolerância a níveis do seculo XX? Na Europa, a intolerância ao emigrante ganha cada vez mais espaço na sociedade e no Brasil o processo de criminalização das esquerdas esta dando espaço a nova onda de extremistas. Cada vez é mais perceptível como o elemento outro ou como a pessoa fica taxada devido a seus posicionamentos.

    • Bertone de Oliveira Sousa 23/02/2016 / 22:24

      Pedro, essa é a tendência que está se esboçando. Mas não creio que a sociedade como um todo vá absorver isso, é só uma fração da classe média e a classe alta. As pessoas estão descontentes com o governo Dilma, mas a direita não tem projeto de país e isso denuncia contra ela. Mas a força desse segmento vem dos erros do PT e do recuo do emprego, direitos trabalhistas e políticas sociais.

      • Pedro Henrique 23/02/2016 / 23:16

        Fico imaginando até que ponto iremos retroceder. Décadas de luta por direitos sociais destruídas em meses por delirios anti humanísticos e (com todo respeito pois meu sangue esta borbulhando um pouco neste assunto) câncervadores. Nesse exato momento os jornais fazem grandes aues sobre outro panelaço ao passo que também divulgam matérias sobre a Anistia Internacional denunciando (novamente) o pais por abusos aos direitos humanos e retrocesso dos direitos sexuais. Vez por outra o desejo de abandonar o barco bate forte, mas infelizmente a muita gente que me importo aqui e de certo modo creio ser um dever cívico impedir o melhor que puder este pesadelo politico que assola o pais. Ainda acho que se deixados livres, esses sociopatas irão destruir o direito ao divorcio e mandar homossexuais ao sanatório uma vez mais para sofrerem lobotomia.
        Nesse caso acredito que vamos ter sérios problemas pela frente, estes que só podem ser combatidos por uma frente vigorosa não só popular, mas dos acadêmicos que parecem estarem travados em algum tipo de limbo, quietos na academia sem manifestar-se contra os absurdos diários que são propagados nas redes sociais.

        Desejo ao senhor o melhor, como sempre. Vamos esperar que nossas tentativas de trazer tolerância e logica a situação politica do pais.

        E perdão caso soar um pouco apaixonado no discurso, é que lendo a noticia do DW Brasil sobre a AI denunciando o pais realmente enferveçeu o sangue. Especialmente com o congresso que estamos tendo recentemente.

      • Pedro Henrique 23/02/2016 / 23:20

        Ah sim, esqueci de perguntar. Bertone, voce acredita que alguns teóricos relativamente esquecidos podem revitalizar a vida intelectual brasileira? Sei que Gramsci por exemplo, não é muito mais lido, mas também noto que Norberto Bobbio tem estado no esquecimento (e veja voce, relatos de antigos cursantes das faculdades de direito dizem que ele era uma sensação em suas épocas) entre outros. Nesse exato momento eu prefiro focar-me em Bobbio e em George Sorel. Apesar deste ultimo ser a definição clássica do extremismo, fico me perguntando até que ponto o desinteresse é devido as teorias ou mera falta de conhecimento. O senhor talvez possa sugerir-me algo que exclareça tal duvida, por isso faço essa pergunta.

      • Bertone de Oliveira Sousa 23/02/2016 / 23:33

        Rawls, Nozick e Rorty são ótimas referências para pensar a democracia em nossos dias.

      • Pedro Henrique 23/02/2016 / 23:54

        Obrigado pelas sugestões. Irei procurar artigos ou algum PDF na internet. Recordo-me sobre sugestão de Rawls até, em uma discussão sobre as minorias e sua inclusão.

  13. Gabriel Ramos Tavares de Pinho 24/02/2016 / 3:41

    Professor Bertone Sousa,eu sei que esse papo de marxismo cultural,e as afirmacoes de que o PT é um partido comunista e totalitário são palhaçada da nossadas direita, mas o problema do PT na minha opinião não é praticar o que a direita o acusa,e sim ser cúmplice disso em sua política externa,não crítico as políticas sociais do PT,acho o Bolsa a família, política de cotas,Prouni uma maravilha, mas me recuso a continuar apoiando um partido que defende a ditadura cubana,essa sim comunista totalitária,e se cala quando a polícia venezuelana mete o pau em opositores do regime de Maduro,e o Lula ainda fez pior quando era presidente,se aliou com o regime fundamentalista islamico do Irã, tendo inclusive falado que quem protestou quando houve fraudes na reeleição de Ahmadinejad era o mesmo que protestar quando seu time perde um Fla Flu,ou seja comparou com protesto de torcida de futebol, e o mesmo ele fez quando falou de um preso politico de Cuba que fazia greve de fome,comparou isso a uminha preso comum do Brasil,me desculpe a expressão, mas porra não consigo engolir mais isso,me dá nojo, não voto mais nesse kra nem fudendo, prefiro votar em branco em 2018!

  14. Gabriel Ramos Tavares de Pinho 24/02/2016 / 4:20

    E eu jamais apoiarei um partido que faz parte de uma organização(Foro de São Paulo) que possui em seus quadros,as FARC,grupo guerrilheiro ,que comete sequestros e tráfico de drogas,sei que há teorias da conspiração em torno do Foro,e que muitas são mentirosas, como o fato de que essa organização pretende instaurar o comunismo na América Latina para recuperar o espaço perdido depois da queda do Muro de Berlim,mas o fato é que Cuba e as FARC fazem parte da organização, fato não negado por ninguém, ou seja umais ditadura e um grupo que comete sequestros e faz tráfico de drogas,assim como abomino o PT por se aliar a essa organização, também abomino Bolsonaro por defender a ditadura militar de direita,ou seja não compactuo com ditaduras!

  15. Gabriel Ramos Tavares de Pinho 24/02/2016 / 8:13

    Estou vendo,pelo menos na Internet,não sei na “vida real”,até onde vai esse crescimento,se caso ele se candidate a presidente,teria chances de disputar um segundo turno,o que acho exagero,na minha opinião, ele no máximo fará 10%dos votos,mas suponhamos que ele tenha chances e dispute um segundo turno com Lula,não votaria nem em um,nem em outro,infelizmente por achar que eles se equivalem,Lula apóia a ditadura cubana e a iraniana,Bolsonaro defende a ditadura militar brasileira e a chilena,ambos são defensores de ditaduras, Lula realizou políticas sociais,Bolsonaro não pretende realiza-las,as critica,nesse caso,ponto a favor de Lula,porém Lula é corrupto e Bolsonaro não, nesse caso ponto a favor de Bolsonaro,porque para mim da no mesmo ,prefiro não escolher nenhum,se a decisão final for entre um político de esquerda corrupto e um político de direita honesto.Lula distribuiu renda e permitiu a minorias terem acessado a universidade,mas roubou o dinheiro público, ou seja esse dinheiro roubado poderia ser usado para outros investimentos,ou seja o país poderia estar mto melhor,já Bolsonaro se fizer um governo sem roubar,e investir dinheiro em saúde e educação o país poderá crescer,porém sem políticas sociais,muitos continuarão na miséria,a desigualdade social persistirá, por isso não gosto nem de um ,nem de outro,Lula e Bolsonaro são dois lados da mesma moeda,progressista corrupto e conservador honesto são os mesmos,o político ideal teria que ter o progressismo de Lula e a honestidade de Bolsonaro

  16. Roberto S Chiandotti 03/03/2016 / 18:13

    obrigado Professor por mais esta aula “resumida” do que “poderia ser” este tal de comunismo cultural.
    a proposito, acho que o ensino fundamental é muito pesado para esta tal chamada “direita”. Talvez um Kumon para voltar a crer que o escrito é aquilo que ele escreveu e não o que ele acha que queria dizer.
    abraços.

  17. Wanderson Junior 06/03/2016 / 1:42

    Professor, o senhor é claramente um homem inteligente, que demonstra conhecimento e propriedade no que fala… Porém, por muitas vezes, o senhor cai nas falácias dos radicais de direita e de esquerda… Quando o senhor explana sobre a sua própria ideologia, reverencía os “grandes pensadores”… Até Lênin e Stálin são reverenciados pelo senhor… E quando fala de pessoas de fora da sua ideologia, o senhor os menospreza… Entendo que questões ideológicas são complicadas de se manter imparcial… De todo modo, seu texto é bacana, tem propriedade, apesar de eu ser contrário a sua ideologia. Gostaria de parabeniza-lo pelo texto. Nas partes que falou dos extremistas, os descreveu com perfeição, só ressalto, que essa descrição, vale para os dois lados.

    • Bertone de Oliveira Sousa 06/03/2016 / 2:21

      Vanderson, você não me conhece e não sabe o que já escrevi sobre Lênin e Stálin. Leia mais o blog e não avalie sem conhecimento de causa.

      • Wanderson Junior 06/03/2016 / 11:57

        Professor, meu comentário foi referente ao texto específico. E me desculpe, mas o texto deixa claro que o senhor segue a ideologia da esquerda, apóia o Marxismo, inclusive com propriedade no assunto… Só acho que o senhor é inteligente demais, pra cair nessa história de que só de um lato tem boçais, só de um lado tem intelectuais, seu texto soa como, na esquerda só tem gênio… Na direita só tem imbecil… Não é bem assim… Nos dois lados existem todos os tipos de pessoas e os dois lados tem referências intelectuais válidas…

  18. eduardo 04/04/2016 / 18:51

    o que me deixa muito alerta e o fato de que tal pensamdnto tem chamado atencao ate de pessoas ditas “inteligentes”.E isso em plena era da informacao
    Ficam dentro de um esquema maniqueista e simplista:esquerda-direita.Como era de se esperar,quando a discussao ai ultrapassa,ficam meio que perdidos ,ou como se diz aqui na Bahia;”mais perdido que cego em tiroteio”.
    E muito preocupante isso:acho que no mundo atual existem espacos para todo o tipo de pensamento.Parece que tal liberdade e entendida como um chamado a burrice e a falta de reflexao.E lembrando mais uma vez :em plena era da informacao.
    A ascensao de Kataguiri e sintomatico desses tempos dificeis.E isso nao pelo fato de ser jovem,secundarista,etc.E que nao vejo consistencia no que ele fala(nao estou dizendo que nao seja inteligente ou coisa parecida) ,e isso piorando quando analiso outros “lideres liberais”.
    Devemos nos lembrar que o pensamento liberal e de direita possue intelectuais de primeiro nivel.COlocaria ate o proprio Mises nesse campo.O que me entristece e ver essa pauperizacao do pensamento de direita(isso e mt ruim ate para esquerda)

  19. Robsson de Barros 20/05/2016 / 0:55

    Vamos viralizar isso até virar lei,façamos assim
    :
    Aos moldes alemães, vamos separar o Brasil meio a meio– De um lado a direita esculachada pela esquerda, e do outro óbvio a bem-aventurada esquerda. Vamos ser bonzinhos uma vez nesse planeta e daremos o direito deles escolherem, e daqui uns 4 anos veremos quem será mais rico e produtivo.
    Assinamos um tratado, e aquele que nesse período se tornar mais poderoso, então torna-se soberano sobre a outra parte, pronto, solucionado o problema, mas aviso :

    A esquerda vai perder feio, seus víeis ideológicos recheados de um conto de fadas, estarão preocupados em “emancipar” cus, festas e orgias pra todos os lados; cervejas, churrascos e tudo do “bom e melhor”, trabalharão já pensando nos inúmeros feriados, assassinos cheios de regalias etc etc etc.

    Enquanto isso do lado de cá os caretas, amargos, ranzinzas e religiosos “abestados” e todos os nomes conspiradamente inflamados pela esquerda estarão trabalhando, trabalhando e cuidando de suas famílias; nós os “retrógrados” estaremos produzindo, fazendo acontecer a meritocracia, com as nossas “idiotas” leis etc etc etc.

    O que vejo no futuro é um bando de arrependidos implorando e tentando entrar a força por aqui, a exemplo dos Alemães da parte oriental comunista; o que vejo são “coyotes”tentando colocar a força os “fugitivos” do Brasil comunista.

    Comunismo cheira a marxismo, conspiração isso, ou realidade de fatos? Andem, peçam a separação desse país logo, façam acontecer a democracia, pois a democracia também é comunista, inventada pra servir apenas um lado.

    • Denilton Sant 11/11/2016 / 1:00

      Boa ideia, separar os conservadores dos progressistas. Vale lembrar que o Brasil é moralmente consrvador está essa maravilha, Dinamarca, Holanda, Suécia, Noruega que são uma desgraça, países horriveis e pobres.

      • Amanda 14/11/2016 / 19:45

        Denilson, vc fala como se fosse o comunismo e a esquerda que tivesse levado esses países ao primeiro mundo.
        Estude a historia desses países. Com execessão da Holanda, todos abraçaram esse esquerdocancer bem depois de já serem países desenvolvidos e de primeiro mundo.
        Alias, o que a esquerda está fazendo é destruir esses paises. Da uma olhadinha na Suecia e Noruega atual, que esta afundando seu proprio povo na loucura do multiculturalismo.

        Sobre a Dinamarca. O proprio primeiro ministro da dinamarca, Lars Løkke, refutou essa historinha esquerdista e afirmou que a dinamarca não é socialista e sim uma economia de mercado.

    • Alan 25/02/2017 / 13:43

      4 social-democracias pra você:

      Islândia
      Dinamarca
      Suécia
      Holanda

      Aponte-me defeitos gigantes nessas social-democracias. Se quer capitalismo “selvagem” vai para o Haiti ou fica no Brasil mesmo. Uma “escandinavização” global é a solução para a maior parte dos problemas socio-econômicos de hoje.

  20. Paulo Roberto 05/09/2016 / 10:26

    Não conheço um pais que seja desenvolvido que siga essa doutrina marxista. Só sei que milhões foram mortos por esses comunas. A direita é burra sim, por não lutar com as mesmas armas e determinação da esquerda, por se julgar superior. Por isso acho a direita um bando de idiotas.

  21. Leandro Gomes 17/10/2016 / 22:40

    Eu sou muito Burro!!!
    Não tenho capacidade para avaliar coisa alguma.
    Mas minha opinião,é que no Brasil,todos os partidos políticos são lixos!
    A direita é um lixo!
    A esquerda é um lixo!
    Bando de filhas-da-puta!
    Chico Buarque é comunista e finge ser militante em favor dos pobres…Mas o que se percebe desde os anos 50,
    é ver um vagabundo se beneficiando de várias mordomias da esquerda.
    Morando num triplex em Ipanema,
    e comendo menininhas de 15 anos.
    Porque não vende os seus bens e distribui aos necessitados provando ser um verdadeiro socialista???
    E o Bolsomito da direita atual?
    Porque não abre mão do seu auto salário para dar exemplo aos seus seguidores apaixonados?
    Brasil varonil tu és a Vila mimosa dos psicopatas!!!

  22. BARROS 28/10/2016 / 22:44

    Muito apelativo seu texto pra não dizer hilário, acho que quem tem que estudar é você para superar o senso comum e realmente para de escrever texto doutrinários e tendenciosos.
    Defender “cotas” é de uma mesquinharia intelectual sem precedente….somos um pais de miscigenados e cotas é o contrários de “todos” queremos sim uma educação publica gratuita e de qualidade e não universidade debeis e de faz de conta que nascem de um dia para uma noite, como uma medida eleitoreiras e financeira.
    Tenho uma pergunta: quanto tempo ainda levará para se fazer justiça social aos negro usando as cotas como mecanismo??? quantos negros todos os anos ficam fora da universidade porque as cotas não os contemplam..??? agora faça me um favor vai estudar o que “MARXISMO CULTURAL” e depois procure escrever textos descentes e coerentes

  23. HIDERALDO 25/11/2016 / 14:44

    Papo vai papo vem, mas os defensores do “socialismo” nunca conseguem ser convincentes o bastante. Esse “socialismo do seculo XXI” que começou a ser alardeado pelo Hugo Chaves, NUCA VAI ACONTECER. Um “socialismo humano, cativante, próspero onde o poder emana do povo…?!!??!!?? ACORDEM!! parem com essa utopia, esse devaneio!!! Os governantes JAMAIS vão dar o “poder ao povo” e para alguns mais desinformados, para não dizer MAIS BURROS, Nunca ninguém vai “dividir riquezas com ninguém” Basta ver os países ditos “socialistas” mas que não passam de ESGOTOS ESCRAVOCRATAS (Cuba, Coréia do Norte). Nesses “paraísos” socialistas NINGUÉM TEM LIBERDADE, a comida sempre é racionada, Não existe internet, não pode sair do país, se fizer oposição morre fuzilado. Esses tiranos como o Fidel castro UM ASSASSINO QUE A IMPRENSA CHAMA DE “MITO” já matou milhares de opositores dentro da sua ilha-prisão. Quem defende um demônio destes ou é MUITO BURRO ou é criminoso mesmo…Eu prefiro mil vezes viver num país capitalista e poder dirigir meu carro, comer batata frita com coca-cola, usar i-phone, e poder dar minha opinião, que em última análise É APENAS UMA OPINIÃO, do que morrer de fome na mão de um ditador comunista desses…

  24. Ricardo Perdigão 13/12/2016 / 2:13

    Professor, boa noite!
    Gostaria de perguntar- lhe.
    Por que o senhor acha que a direita é o problema?
    Eu creio que o problema é o entendimento da filosofia nos países de terceiro mundo.
    Li atentamente seu texto, concordo em partes, e queria fazer uma observação:
    O senhor não acha que com tanta miscigenação no BRASIL, as influências de qualquer regime, doutrina, ideia européia, dita de primeiro mundo, não sofreria uma influência quantitativa e qualitativa no quesito compreensão?
    O que quero dizer é que estas “leis”, o Marxismo, a dialética de Hegel e etc… Foram feitas por pensadores,”gente top”, aí chega no Brasil, onde a cultura ainda não chegou e passa a acontecer uma deturpação absoluta de tudo.
    Sou empresário e vejo, hoje, que os funcionários chegam a minha empresa com “ódio” e quebrar esse pensamento e mostrar a eles que temos, pelo menos na minha empresa, uma parceria é difícil.
    Creio que todo empresário deveria entender que ele tem que ser por excelência um professor. Alguém capaz de capacitar seu colaborador, para que ele chegue a ser seu futuro sócio.
    Isso estimula a todos e força ao empresário a jamais ficar numa zona de conforto.
    Mas como isso seria possível com a política de esquerda atual implantada na cabeça do “jovem aprendiz”? Concordo, sim, que 99% das empresas só querem explorar, mas crer que só existe gente assim é tacanho. Mas o grande problema que a direita vê (creio eu) na esquerda é o vitimismo, ideias fracas, o pessimismo em relação ao próximo, a falta completa de confiança, a falta de sinergia para atingir os mesmos objetivos, a incapacidade de sonhar.
    Não teria o empresário uma missão? Ou não? Sou contra a corrupção, a favor da meritocracia, mas ando muito triste ao ver que nossa juventude se dividiu pelo ódio. E deveríamos estar trocando nossas experiências e reconhecendo os méritos alheios e principalmente nos amando. Pode parecer estranho, mas creio realmente no imanentismo e de uma forma bem intrínseca creio na força do amor e do respeito mútuo.

  25. Marcelo 19/01/2017 / 10:45

    Professor Bertone, veja que displante: Nando Moura, músico da banda Pandora( já ouviu falar?) disse, com toda a convicção do mundo, que “Hitler era marxista”! Por que ele não afirmou, também, de uma vez por todas, que “Marx era hitlerista”? Aí a estupidez seria completa!

    • Bertone Sousa 19/01/2017 / 14:58

      Marcelo, esse rapaz olavete é um dos principais sintomas da burrice de direita que tem crescido na internet.

  26. Lelio 18/02/2017 / 22:39

    Professor, o senhor conhece o programa “Faixa livre” da rádio Bandeirantes AM do Rio? É um programa de entrevistas e debates com uma visão crítica e alternativa da realidade brasileira. Dele participam, com alguma regularidade, pessoas como Roberto Romano, Carlos Lessa, Rudá Ricci, Nildo Ouriques, Daniel Aarão Reis, entre outros. O programa pode ser ouvido, incluindo programas antigos,
    através do site da AEPET: www​.aepet.org.br/ faixalivre

  27. Thaís Macedo - The Mind Butcher 01/03/2017 / 18:34

    Então hoje em dia as pessoas se vestem da mesma forma, falam da mesma forma ( mesmos argumentos, mesma dialética, mesma construção), agem da mesma forma e pensam da mesma forma porque chegaram à mesma conclusão sobre tudo, magicamente?
    Você realmente acredita que através das reflexão e da crítica consciente à realidade que uma massa de pessoas atingiu, de forma unânime, o mesmo ideal de vida, mundo e sociedade?
    A nossa cultura atual é um esgoto sem fim, não produzimos mais nada autêntico ou belo ou significativo.
    Nossos jovens não leem, não ouvem boa música, não tem noção do que é artístico – dirá do sentido da arte -.
    Nós temos uma massa que consome produtos superficiais e sem significado.

    Talvez se a preocupação de “grandes pensadores” como você se voltasse para a inexistência de uma contracultura jovem atual, para as desesperadoras taxas de suicídio, para a bovinização dessas mentes, ao invés de chamar a direita de burra – inclusive seu artigo se preocupou muito mais com isso do que com refutar a tese do marxismo cultural, parece que alguém tem uma obsessão com a direita rs- talvez nossa sociedade tivesse alguma chance.
    Mas o clubismo e o desespero pela superioridade moral e intelectual não permitem tais reflexões.
    Lamentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s