Hitler de direita?

hitlerRecentemente, um sujeito que se identificou apenas como “José” deixou o seguinte comentário aqui: “Hitler de Direita!? Você pode até acreditar nisso mas é um grande embuste!”. O comentário foi feito em um artigo de mais de quinze páginas onde, através de um diálogo com renomados historiadores, esse assunto foi discutido no sentido de esclarecer o porquê de Hitler e o movimento que fundou serem de direita. Sem mais nem menos, o rapaz deixa um comentário desse nível. Outro veio dizer que professores de história precisam estudar para não ensinarem que o nazismo era de direita. Ora, o que se pode depreender disso?

Para algumas pessoas, ensinar história é inútil. Elas não querem aprender, elas querem acreditar apenas no que querem acreditar. O essencial é que falta cultura histórica, formação humanística a essas pessoas. A internet tem levado um conjunto cada vez mais numeroso de pessoas mesquinhas e ignorantes a se politizarem. E pior: muitos deles desprezam a universidade e a educação formal, se tornando sugestionáveis a virarem seguidoras de formadores de opinião que não têm qualquer comprometimento com a metodologia de uma produção teórica criteriosa. Elas viram algum guru de extrema direita dizer por aí que o nazismo era de esquerda e, sem pesquisar nada, decidiram acreditar nisso. Inventaram pra ele que Hitler era de esquerda e ele ficou deslumbrado com isso: o termo “nazi” quer dizer “nacional-socialismo”. A partir disso ele pensa que inventou a roda.

Também ensinaram pra ele que alguns cartazes da União Soviética mostravam Stálin fazendo gestos semelhantes aos de Hitler e que por isso os dois sistemas políticos eram homólogos. O que ele não sabe é que é justamente o termo “nacional” ali antes do hífen que torna o nazismo um movimento de direita, um movimento em que o Estado assumiu todo o controle da economia e garantiu a propriedade e os interesses dos grandes capitalistas. O que ele também não sabe é que o racismo científico, que Hitler professava dia e noite, nasceu na direita, no século XIX e que Stálin e a União Soviética jamais foram racistas e nacionalistas. A chamada “questão das nacionalidades” exposta por Stálin antes mesmo da revolução de 1917, jamais teve relação com o nacionalismo, mas com uma estratégia de emancipação do proletariado (como ele a compreendia naquele momento) e, na década de 1920, com uma política de integração para consolidação da revolução. Stalin afirmava enfaticamente não haver povos ou raças puras. Há uma série de questões históricas que precisam ser pontuadas e que escapam completamente ao entendimento dessas pessoas, pelo simples fato de que elas não querem entender nada, apenas acreditar em uma ideologia oca. É preciso combater isso, levar esclarecimentos às pessoas ou essa ignorância vai se espalhar como água de esgoto sobre a rua.

Através de uma breve busca, pode-se encontrar na internet uma miríade de textos eivados de erros históricos crassos que seguem essa perspectiva, da Revista Veja a blogs obscuros e sem qualquer base teórica. No link a seguir, você entenderá o que significa dizer que o nazismo era extrema direita, por que sua ascensão interessava à burguesia e aos conservadores, sua vinculação com o pensamento conservador que emergiu como reação aos ideais da Revolução Francesa, colocando-o em campo oposto aos movimentos de esquerda herdeiros daquela Revolução, as razões de o nazismo ter copiado estratégias de propaganda e recrutamento das esquerdas, entre outras questões. A direita pode envergonhar-se de um dia ter apoiado em massa o nazismo, de ter provocado o Holocausto e de ter transformado o genocídio e o racismo em política de Estado, mas daí a distorcer cinicamente a história é algo que não podemos admitir. Para além dos polarismos ideológicos, cujos juízos de valor mais obliteram o conhecimento histórico do que o incentivam, há questões que os transcendem e precisam ser discutidas abertamente. Para quem quiser compreender o assunto, apresento um texto propedêutico como referência – e com referências. Por isso, peço aos leitores que também divulguem o texto a seguir e mostrem-no a qualquer energúmeno que disser que “Hitler ou o nazismo eram de esquerda”.

Socialismo e Nacional-socialismo: a esquerda e a direita autoritárias do século XX

Anúncios

38 comentários sobre “Hitler de direita?

  1. Rodrigo Najavo 05/01/2015 / 0:45

    Tenho lido todos os textos e são excelentes. Grande aula.

  2. Graça Vieira (@GraaVieira) 05/01/2015 / 7:57

    Bertone, é impressionante o tanto de pessoas que se enquadram no perfil do teu artigo. O que o Olavo de Carvalho tem produzido nessas mentes vazias, e estarrecedor. São agressivos e ignorantes, recusam-se a ouvir a voz da razão mas dão verdadeiros shows de truculência e falta de respeito pelo contraditório. Fico imaginando a serviço de quem o Olavo de Carvalho está.

    • Bertone de Oliveira Sousa 05/01/2015 / 11:04

      Graça, e o tipo de gente que ele recruta tem o mesmo perfil dos alemães que aderiram cegamente ao nazismo: são intelectualmente medíocres e prosaicos, invejosos e ressentidos. Essas pessoas são facilmente coletadas pelos discursos de ódio que ele prega. O fascismo é justamente essa ideologia da inveja que apenas projeta sobre uma alteridade a culpa pelo fracasso de seus expoentes.

      • Daniel 06/01/2015 / 22:16

        Fascismo, uma das maiores demonstrações de anti-intelectualismo.

  3. abner 05/01/2015 / 9:13

    Infelizmente professor, é cada vez mais comum esse tipo de comentário… O que, na sua opinião, pode ser feito para que a academia e a própria história enquanto disciplina acadêmica se tornem ou recuperem essa credibilidade acerca dos objetos que essa mesma disciplina estuda? Eu vejo que no caso de outros estudos, como por exemplo as ciências exatas, a autoridade dos estudiosos e cientistas é menos questionável o senso comum parece passar longe da física e da química, por exemplo. Qual o problema que ocorre com a história, para que a academia não tenha o mesmo peso e autoridade quanto no caso dos outros conhecimentos? me desculpe se caso eu não estiver sendo muito claro.

    • Bertone de Oliveira Sousa 05/01/2015 / 11:11

      Abner, entendo o que você quer dizer, mas na verdade, o problema é que o discurso acadêmico na área de humanas no Brasil continua hermético e chega pouco ao grande público, que termina ficando à mercê da história produzida por jornalistas e estelionatários intelectuais. A maior parte dos intelectuais das universidades não querem vir pra internet e dialogar com as pessoas, ficando restritos ao mundo estreito de sua produção hiper-especializada e de seus orientandos. E também o prestígio das ciências naturais e tecnológicas frente às humanas é um sintoma de nosso mundo contemporâneo em que a História não oferece mais uma perspectiva de futuro e outros meios tem ocupado seu lugar.

  4. Carlos Tadeu 05/01/2015 / 10:28

    Parabéns, Professor! Precisamos de educadores como senhor, pois a ignorância está tomando conta!

  5. Donatien Alphonse François 05/01/2015 / 14:01

    Pois é professor, o que falta á essas pessoas é o gosto pela leitura, pela pesquisa em bibliotecas como tantas vezes eu fiz, apenas para o meu conhecimento particular. A internete, embora seja uma importante ferramenta de pesquisa, se bem usada, é também um meio pelo qual pessoas intelectualmente desonestas publicam suas mentiras, suas invencionices. Vejo muito disso nos comentários do youtube, eles negam o Holocausto, desacreditam a Teoria sintética da Evolução… tudo baseado na mera opinião, sem nunca ler um único livro sobre esses e tantos outros temas. Felizmente temos o seu blog para trazer informações confiáveis. Um forte abraço!

  6. Cauê 05/01/2015 / 15:48

    Estava garimpando a internet em busca de um pouco de vida inteligente, e me deparei com a agradável surpresa do seu blog. Muito bem feito e não ideológico. Parabéns pela lucidez.

  7. Roni 05/01/2015 / 16:07

    Uma de seus melhores textos. Atá compartilhei.

    Abç.

  8. vitorcardoso1 05/01/2015 / 16:58

    Efeito Olavo em cabeças vazias…

  9. Carlos 05/01/2015 / 17:12

    Boa tarde caro professor. Um feliz ano novo para o professor e todos nossos colegas.

    Fiquei impressionado com o tamanho da ignorância do tal sujeito.

    É muito obvio que o nazismo representava a extrema direita, e como tudo que é radical passa a ser nocivo a sociedade, quando ideologias individuais passam a ser seguidas cegamente o resultado a historia nos mostra com clareza.

    Seja esquerda ou direita, seja ativismo ou religião, não importa, formas extremadas de controle de opiniões sempre irá revelar pior e mais sombrio lado humano.

  10. Rafael Ferreira Pinheiro 05/01/2015 / 21:13

    Professor,só tenho a agradecer as seus textos, são um verdadeiro alivio no meio de toda essa loucura e ignorância da internet.Como estudante de historia, concordo com sua opinião da distancia da academia da população, acho isso lamentável.

  11. Waldo Gomes 06/01/2015 / 6:40

    Bom dia, não sei qual seria sua intenção, se ideológica somente ou se patrocinada por ideologia alheia, mas você presta um desserviço enorme às pessoas que não possuem ou possuem um conhecimento raso sobre história, política, sociologia porque estas tendem a aceitar a sua palavra como verdade incontestável em assuntos desta natureza.

    Lastimável.

    • Bertone de Oliveira Sousa 06/01/2015 / 10:11

      Waldo, não escrevo pra gente que só gosta de ler o que lhe agrada. Aqui não sacrifico a discussão histórica por causa de carapuças ideológicas. Quem está interessado menos em aprender do que em encontrar claques para crenças infundadas não vai se achar aqui. Se você acha isso um desserviço, procure quem faz um serviço que lhe agrada, que escreve o que você quer ler. A última coisa que preciso é de gente ofendidinha, que além não estar à altura de pensar historicamente, ainda vem encher o saco.

    • alexandre 06/01/2015 / 15:08

      Nossa quanta profundidade neste comentário, Waldo já não passou a hora de ganhar a mamadeira da maezinha, não se ofenda, querer aprender é conflitante, as vezes descubrimos que não sabemos nada. Permita-se a aprender sem correntes politicas e filosoficas, aprenda de fato como realmente a historia é, não deixe que outros te enganem, mas se você gosta ser assim, bom!!! ah, por sinal tem uma vaga para “ASNO” no zoologico aqui na cidade. Cada um que aparece.
      Sds, prof.Bertone.

    • Éderson Cássio 07/01/2015 / 9:26

      O engraçado é que esse pessoal só vem dizer “vc está errado” e fazer acusações, mas nunca (NUNCA) apresenta um argumento. Aliás, esse tal de Waldo sequer discutiu o assunto do texto.

      • Bertone de Oliveira Sousa 07/01/2015 / 15:00

        Éderson, o Waldo ilustra o que falei no texto: ele não quer saber de história, só de ideologia. Essa é a politização inculta e anti-intelectualista que a extrema direita faz.

  12. Pedro Henrique F. 07/01/2015 / 2:18

    Boa madrugada Bertone. Realmente esta duro andar pela internet. Esse tipo de gente parece que prolifera pior que ratos. Em todo canto da internet você acha esses tipinhos podres pra falar português corretente. Agora mesmo lidei com esse nivel de gente, um verdadeiro festival de esculhambação. Essa gente chinga e acusa achando que esta sendo o maximo, esta dificiu andar pela internet graças a essa praga. Isso quando não ligam o PT junto ne?
    Abraços e feliz ano novo.

  13. Sérgio Rodrigues 08/01/2015 / 23:58

    Caro Bertone, o anticomunismo é capaz de tudo. Inclusive, se preciso for, santifica esse patife!..

  14. André 20/01/2015 / 0:48

    Seria ótimo se você não tendesse a defender o seu “socialismo que Stálin e outros mancharam”. Jogar o Nazismo seja em esquerda ou direita será sempre pretensioso. Quem defende Direita será pretensioso, quem defende Esquerda também. Sou professor de História, também percorri várias obras e não consigo seguir essa linha historiográfica que esse Brasilzão segue. Talvez ter trabalhado muito na vida (chapeiro, garçon, balconista de 1 salário mínimo na maior parte da vida) tenha me ensinado a dar mais valor ao trabalho e o EMPREENDIMENTO ! Adorei as novas disciplinas no programa “reinventando o ensino médio” onde enfim começa-se a dar o devido valor ao empreendimento que todos podem executar. Ainda trabalho de garçon e vejo quanto nesse país o sujeito nasce pra EXIGIR DIREITOS, principalmente pessoas na área da educação com tendências marxistas (90%). O pior é que quem vive disso, entra (por necessidade) numa complexidade extrema! Super cabeça! Sempre vai buscar algo defendendo isso e atacando e procurando jogar num balaio só as mazelas do mundo e os EXTREMISTAS DE DIREITA! Esses comentários anti-anti-comunistas então hein…… Que tristeza ! Vai entrar numa complexidade pra acabar comigo né… !? Pelo menos tempo vai ter… Claro! Esse País de vagabundos complexos…

    • Bertone de Oliveira Sousa 20/01/2015 / 13:59

      André, felizmente não tenho complexos, mas você tem, por isso não preciso acabar com você, você já está acabado, é um fracassado intelectual e profissionalmente.

  15. inominavelser 20/01/2015 / 19:16

    Inomináveis Saudações, Professor Bertone!

    Descobri hoje o seu blog por causa de um tal de Olavo de Carvalho, um nome que vinha me incomodando desde o ano passado. Pesquisando hoje pelo sujeito, me deparei com vossos textos sobre as “idéias” do mesmo e os li, passando a admirar vosso trabalho. Lamentável é que muitos venham aqui não para ler, se informar e esclarecer, para poderem pesquisar depois em livros, mas para ignorantemente ofendê-lo.

    É enriquecedor saber que um blog como este existe na Internet. Divulgarei o texto sobre Socialismo e Nacional-Socialismo após lê-lo hoje; e voltarei mais vezes para ler e comentar seus textos.

    Seu blog é excelente.

    • Bertone de Oliveira Sousa 20/01/2015 / 21:19

      Caro, seja bem-vindo e obrigado pela disponibilidade em divulgar. O objetivo é realmente dialogar e divulgar saberes para os que estejam abertos e interessados em agregar conhecimentos. Quanto aos energúmenos, deixo seus comentários como amostra da arrogância e do despreparo histórico que demonstram. Abraços.

  16. samuel 28/01/2015 / 21:01

    O pior é ver o rodrigo constantino defender tal tese de que o nazismo era socialismo por causa da nomenclatura. Mas infelizmente os dois foram totalitários, só queria saber mais sobre a burguesia Nazi.

  17. Taise 17/11/2015 / 9:31

    Professor, existem alguns documentários, como o “The Soviet Story” que, dado momento, um dos professores afirma categoricamente e sem rodeio que o nazismo era socialista. Ele diz que é a mesma coisa, só com uma pequena interpretação.
    Enfim, por causa disso, muita gente tem alegado que ambos são a mesma coisa e que Hitler baseou todas as suas ideias em Karl Marx.
    Enfim, eu gostaria de saber sua opinião, porque pra mim esse filme não cheira tão honesto…
    Obrigada.

    • Bertone de Oliveira Sousa 17/11/2015 / 15:49

      Taise, já vi esse documentário. Eles equiparam nazismo e socialismo pelo número de vítimas e insinuam que Marx defendeu genocídios. O Richard Overy, um historiador inglês que escreveu uma biografia comparada de Hitler e Stalin, fala que essa estratégia é uma falácia argumentativa. Ian Kershaw, outro historiador inglês que escreveu uma biografia bem extensa de Hitler, também diz que ele nunca foi socialista. Os dois autores explicam bem isso. Esse documentário “The Soviet Story” parece ter sido feito apenas com o objetivo de desacreditar Marx como precursor do nazismo, mas sem problematizar nada de sua vida e obra, exceto alguns trechos isolados da estrutura de seu pensamento, algo que a direita gosta muito de fazer com “Minha Luta” de Hitler. Os historiadores mais criteriosos não entram nessa.

  18. Guilherme Rezende 19/01/2016 / 15:33

    O sr está afirmando que quando o Estado controla toda a economia isso é uma característica da direita?

    • Ariel 18/07/2016 / 1:09

      “(…) um movimento em que o Estado assumiu todo o controle da economia E GARANTIU A PROPRIEDADE E OS INTERESSES DOS GRANDES CAPITALISTAS”
      Leia com atenção cara.

  19. Naldo Boldo 26/01/2016 / 12:30

    O Estado controla a economia desde a monarquia em conjunto com a Igreja e os burgueses.
    Na França o Barão de Gauville explicou: “Nós começamos a reconhecer uns aos outros: aqueles que eram leais à religião e ao rei (imperador) ficaram sentados à direita, de modo a evitar os gritos, os juramentos e indecências que tinham rédea livre no lado oposto.”

    O problema de muita gente que está sendo letrada pelo Olavo de Carvalho é que parece faltar partes importantes do estudo de história e aí não conseguem perceber a extensa gama de posições entre a extrema direita, como por exemplo a norte-americana, que escravizava e queimava negros e subjulgava mulheres e homossexuais nos estados do sul ancorados na bíblia (curiosamente os rincões do hoje partido Republicano, e a extrema esquerda, de Mao ou Stálin, também violenta e dominadora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s