A obsessão criacionista anti-Darwin

Charles DarwinO ano de 1859 marca um divisor de águas na história da ciência. Não que antes ninguém jamais tivesse proposto a hipótese da evolução das espécies, mas porque antes disso a evolução era apenas isso, uma hipótese. Após uma longa viagem observando, anotando e coletando evidências, Darwin a transformou numa teoria. A maioria das pessoas confunde hipótese com teoria. Quando falamos de uma teoria da evolução ou uma teoria da gravitação universal, por exemplo, não estamos falando de uma suposição científica; uma teoria se mantém verdadeira por conter princípios que não foram refutados. Apesar disso, não são poucos os teólogos, diletantes e líderes religiosos que não aceitam esse fato, pior, ainda pretendem que uma narrativa religiosa tenha caráter científico e descritivo. 

Isso porque não existe uma teoria da criação, mas narrativas da criação coligidas em livros sagrados de variadas culturas e baseadas na tradição oral de povos que viam esses relatos como uma explicação das origens em momentos históricos em que não havia distinção entre logos e mythos, duas formas distintas de descrever o mundo. Com isso, criacionismo e evolucionismo estão em níveis distintos de interpretação, não podendo sequer ser comparados. Os criacionistas esquecem isso quando tentam de forma constante e azafamada demolir a teoria da evolução sem se aperceberem de que os princípios do que pretendem colocar em seu lugar não possuem validade científica.

Esse é o caso da já sovada teoria do Design Inteligente.  Não é preciso nenhum cientista ser irreligioso para admitir que a teoria ID (Intelligent Design, em inglês) é uma fraude pseudo-científica. Esse é o caso de Francis Collins, que, embora teísta, se opõe a essa concepção e cujo livro “A Linguagem de Deus” comentei em outro artigo (clique aqui para ler). Não foram poucos os que já tentaram “demolir” o evolucionismo alegando que há nessa teoria a violação desta ou daquela lei científica. São mais de 150 anos de debates acalorados, tentativas de silenciamento e até querelas em tribunais. Talvez uma das questões mais importantes nisso tudo seja: por que a constatação de que evoluímos de outras espécies e não fomos criados por um ser divino ou de que o mundo não possui apenas seis mil anos ofende a tantas pessoas?

Mesmo antes do século 19, algumas pessoas já haviam tentado estipular uma idade aproximada da Terra a partir da cosmovisão cristã. Ainda na primeira metade do século 17, um arcebispo inglês chamado James Ussher calculou que a criação ocorreu por volta do ano 4004 a.C. e John Lightfoot, complementando o trabalho de Ussher, precisou que a criação finalizara no dia 23 de outubro, às nove horas da manhã.

Posteriormente, à medida que registros fósseis foram aparecendo e a geologia aperfeiçoou seus métodos de cálculo da idade aproximada das rochas, toda pretensão de transformar a narrativa criacionista em ciência caiu em maus lençóis; nem mesmo a ideia de que os fósseis derivavam do Dilúvio bíblico pôde subsistir por muito tempo. Antes de Charles Darwin escrever a Origem das Espécies, pesquisadores como Georges Cuvier, Georges de Buffon, James Hutton, Charles Lyell, Erasmus Darwin, Lineu e Lamarck deram importantes contribuições para a teoria evolucionista. Para quem fez um bom ensino médio, sabe que depois de Darwin, a genética e o aperfeiçoamento dos métodos de datação de fósseis tanto confirmaram o que ele havia pesquisado como acrescentaram novos elementos.

Hoje, embora renomados cientistas possam enquadrar a evolução como uma fraude, essa não é uma visão compartilhada pela maior parte da comunidade científica internacional e entre afirmar a falsidade de uma teoria e apresentar provas concretas disso há um enorme abismo. Mas em geral isso é feito em nome de uma fé religiosa e da reafirmação do criacionismo bíblico. Rejeitar a ciência por causa da fé tem se mostrado uma atitude leviana há séculos, pelo menos desde que a Igreja tentou silenciar Galileu por ratificar a teoria copernicana. Hoje podemos ver em contextos variados que a reclusão da ciência aos muros da religião não  produz nada além de obscurantismo e tende a reduzi-la a reprodutora de dogmas. Isso talvez explique, em parte, porque a religião está em vias de desaparecer em algumas sociedades. É preciso que a religião repense seu papel diante do mundo e cultive um tipo de espiritualidade que não engesse o pensamento crítico e a capacidade humana de questionar e buscar respostas. Para finalizar, reproduzo um texto do físico Marcelo Gleiser publicado na Folha de São Paulo com o título: Por que duvidam da evolução?,  e que acrescenta alguns elementos importantes a essa reflexão.

Por: Marcelo Gleiser

Será que é tão ofensivo ter um ancestral em comum com outros primatas, como os chimpanzés?

Ao menos nos EUA, a evidência é indiscutível. Em uma pesquisa do grupo Gallup na véspera do aniversário de 200 anos do nascimento de Charles Darwin, no dia 12 de fevereiro de 2009, apenas 39% dos americanos responderam que “acreditam na teoria da evolução”.

Não há dados semelhantes no Brasil, mas imagino que os números sejam semelhantes ou piores.

A mesma pesquisa relaciona o resultado com o nível educacional dos respondentes. Apenas 21% das pessoas com ensino médio completo ou menos acreditam na evolução. O número sobe para 53% nos graduados e 74% em quem tem pós-graduação.

Outra variável investigada foi a relação do resultado com frequência à igreja. Dos que acreditam em evolução, 24% vão a igreja semanalmente, 30% ao menos uma vez por mês e 55% nunca vão. Quanto mais crente, maior a desconfiança em relação à teoria de Darwin.

Por outro lado, a evidência em favor da evolução também é indiscutível. Ela está no registro fóssil, datado usando a emissão de partículas de núcleos atômicos radioativos. Rochas de erupções vulcânicas (ígneas) enterradas perto de um fóssil contêm material radioativo. O mais comum é o urânio-235, que decai em chumbo-207.

Analisando a razão entre o urânio-235 e o chumbo-207 numa amostra de rocha ígnea e sabendo a frequência com que o urânio emite partículas (em 704 milhões de anos, a quantidade de urânio numa amostra cai pela metade), cientistas obtêm uma medida bastante precisa da idade do fóssil. Por exemplo, os dinossauros desapareceram há 65 milhões de anos.

A evidência em favor da evolução aparece também na resistência que bactérias podem desenvolver contra antibióticos. Quanto mais se usam antibióticos, maior a chance de que mutações gerem bactérias resistentes. Esse tipo de adaptação por pressão seletiva pode ser investigado no laboratório, sujeitando populações de bactérias a certas drogas e monitorando modificações no seu código genético.

Posto isso, pergunto-me por que a evolução causa tanto problema para tanta gente. Será que é tão ofensivo assim termos tido um ancestral em comum com outros primatas, como os chimpanzés?

A nossa descendência é ainda muito mais dramática: se formos mais para o passado, todos os animais que existem descenderam de um único ancestral, o Último Ancestral Universal Comum (na sigla Luca, em inglês), que provavelmente era um ser unicelular.

Essa desconfiança do conhecimento científico é muito estranha, dada a nossa dependência dele no século 21. (De onde vêm os antibióticos e iPhones?) O problema parece estar ligado ao Deus-dos-Vãos, a noção de que quanto mais aprendemos sobre o mundo, menos Deus é necessário. Os que interpretam a Bíblia literalmente veem nisso uma perda de rumo. Se Deus não criou Adão e Eva e se não nos tornamos mortais após a “queda do Paraíso”, como lidar com a morte?

Uma teologia que insiste em contrapor a fé ao conhecimento científico só leva a um maior obscurantismo. Mesmo que não acredite em Deus, imagino que existam outras formas de encontrar Deus ou outros caminhos em busca de uma espiritualidade maior na vida.

Leia também:

Criação e Evolução: notas sobre um debate sem fim. 

Anúncios

41 comentários sobre “A obsessão criacionista anti-Darwin

  1. Duke de Vespa 10/06/2014 / 10:16

    Não querendo ser preconceituoso, mas sendo um tanto, creio que essa resistência à teoria da Evolução das Espécies de Darwin, nada mais é do que o velho fanatismo religioso de sempre. Engraçado que o Criacionismo enxerga o mundo através de uma perspectiva bíblica. No entanto, há várias narrativas religiosas, tão variadas quanto as diferentes culturas existentes. Será que os pseudocientistas cristãos, católicos ou evangélicos, aceitariam como igualmente válida, as narrações de surgimento do mundo contada pelos povos Cariris, Iorubas ou Vikings, por exemplo?

    • Bertone de Oliveira Sousa 10/06/2014 / 12:55

      Na verdade isso nem é preconceito, Duke. Durante a era das colonizações, tanto no século XVI como especialmente no XIX, converter uma cultura à fé cristã era um primeiro passo importante para subjugá-la politicamente. O Hobsbawm até comentou isso em um de seus livros. Mas reconhecer a validade dessas narrativas colocaria em xeque o caráter exclusivista do livro sagrado da religião monoteísta. Lembro que há algum tempo li uma matéria em um site cristão atacando Billy Graham por ele ter feito essa positivação de outros credos.

  2. Márcio 10/06/2014 / 13:40

    Olá Bertone. Falando em design inteligente (uma receita de bolo que não tem os ingredientes), há um senhor anti-darwinista extremo que se autointitula pós-darwinista e posta artigos de vários cientistas com a pretensão do convencimento pelo cansaço, já que a interpretação tendenciosa lhe é própria. A figura impoluta se chama Enézio E. de Almeida Filho (do blog:Desafiando a nomenklatura científica – http://pos-darwinista.blogspot.com.br/) e ridiculariza o tema da evolução sempre que pode usar tais artigos como sustentáculos de seu deboche deliberado. Trata-se de um Dom Quixote com ares de profeta iconoclasta. Esquece no entanto, que seu discurso é tão iníquo quanto inócuo. Esperneante a ponto de merecer um lenço. Um figura obsessiva que promete suas “provas” de arquitetura planejada para 2020 : a SÍNTESE EVOLUTIVA AMPLIADA ou ESTENDIDA.
    Vale conferir para avaliar o grau de sandice.

    • Bertone de Oliveira Sousa 10/06/2014 / 20:20

      Márcio, é curioso como algumas pessoas dedicam vários anos e até décadas a tentar desconstruir uma teoria sem se aperceberem de que fazem um trabalho completamente inútil.

      • Bertone de Oliveira Sousa 11/06/2014 / 13:19

        Éderson, foi o que pensei, as semelhanças são notáveis, é só substituir darwinismo por marxismo. Não conhecia esse termo, mas é muito preciso pra definir esse tipo de sujeito.

  3. Leandro 14/06/2014 / 23:20

    Mais um site anti- Darwin!…professor Bertoni, esse vai além do que eu imaginava, disse o tal que uma cadela acha fosseis!…bom e ainda fala se os fosseis tem milhões de anos como é que a cadela consegue achar?…eu creio que isso não tem cura! https://darwinismo.wordpress.com/page/2/

    • Bertone de Oliveira Sousa 19/06/2014 / 12:36

      Miguel, parte considerável da nossa ciência viola o senso comum, por isso ela se vale de métodos e instrumentos para apreender fenômenos e eventos que escapam à nossa percepção e leva nosso senso comum a ter impressões errôneas. Talvez se um dia você entender o que é e como funciona a ciência, possa realmente fazer uma discussão séria, não de senso comum. Até lá, ninguém vai te levar a sério.

    • Roni Kurono 19/06/2014 / 19:03

      “Répteis a evoluírem para pássaros, animais terrestres a evoluírem para baleias, etc, parece algo saído da boca dum contador de histórias para crianças e não da boca de quem depende das evidências.”

      As pessoas que duvidam da TE são em sua maioria religiosas que acreditam firmemente em seus livros sagrados e fazem leituras literais deles. Eis que surge a pergunta: um Deus mágico ter criado o mundo e os animais em seis dias parece algo que saiu da boca de um contador de histórias ou de alguém que depende de evidências? Portanto, não vejo tanto sentido nisso que vc disse sobre duvidar, as pessoas duvidam da TE por ser algo que “parece história para crianças”, mas acreditam em algo realmente surreal, que parece mesmo uma historinha de criança: um deus criando magicamente as coisas.

  4. Roni Kurono 19/06/2014 / 18:47

    Participo de um grupo no Facebook intitulado “Evolucionismo x Criacionismo”. E algumas postagens que alguns fundamentalistas religiosos fazem chega a ser triste com tamanha estupidez. Direto aparecem fundamentalistas repetindo as mesmas cartilhas tolas, como por exemplo, dizer que Evolução não é um fato por ser uma “Teoria”. Haja paciência! Até fiz um texto sobre isso: http://colunadefilosofia.blogspot.com.br/2014/06/lei-e-teoria-cientifica.html

    A propósito, o texto está ótimo. E o design do blog tbm.

    Abs.

    • Bertone de Oliveira Sousa 19/06/2014 / 23:35

      Roni, eles devem ter aprendido isso com o Silas Malafaia ou algum outro maluco que é líder religioso e adora repassar essas bobagens. Não dá pra dialogar com essa gente, eles ignoram e desprezam noções básicas de ciência.

      Obrigado. Abs.

  5. Miguel 20/06/2014 / 1:57

    Bertone:

    Miguel, parte considerável da nossa ciência viola o senso comum, por isso ela se vale de métodos e instrumentos para apreender fenômenos e eventos que escapam à nossa percepção e leva nosso senso comum a ter impressões errôneas.

    Não é a ciência que viola o senso comum, mas especificamente a teoria da evolução. Até uma criança de 4 anos sabe que dum réptil só pode vir outro réptil ad eternum. Mas o evolucionista realmente acha que não, e defende uma coisa que nunca foi observada, testada ou duplicada.

    Talvez se um dia você entender o que é e como funciona a ciência, possa realmente fazer uma discussão séria, não de senso comum.

    O link que eu deixei é dum evolucionista que confirma o que os não-evolucionistas sempre disseram. Tens alguma forma de refutar o que esse evolucionista disse sobre a ausência de evidencias fósseis para a evolução humana?

    http://darwinismo.wordpress.com/2010/03/31/evolucionista-como-nao-temos-os-fosseis-nos-inventamos-historias/

    • Bertone de Oliveira Sousa 20/06/2014 / 7:06

      Miguel, esse texto não diz nada com nada, só tem achismos de dois jornalistas que não apresentam nada em termos de pesquisa. Em geral, as pessoas que querem “refutar” a evolução não têm nada de novo ou de importante a apresentar. Isso aí tá muito ruim.

  6. Leandro 20/06/2014 / 23:37

    Caro colega Miguel, somente na sua cabeça, ou se você aprendeu algo com algum padre fundamentalista. Por favor vá informar-se, vá ler a respeito da descendência com modificação ou evolução, algo tão simples e você com o seu fundamentalismo religioso, não consegue enxergar a realidade. Eu acredito em Deus, sugiro você a ler as atualizações sobre a evolução, não só acreditar em um site como esse que posta, esses caras não tiveram nem a vontade de pesquisar, falando do achismo deles. Não acredite em pessoas que só acham e inventam mentiras, por preconceito. Um réptil não é ad eternum, pois vá e veja as evidências, um dia você já viu um fóssil? aposto que não!…Vejo fósseis todo dia na faculdade, Um exemplo bem simples de intender são os Dinos chamados raptores, que atualmente encontraram evidência de penas ou se preferir penugem, e sim foram os precursores das aves com certeza. Cara se você tem algum medo de que a verdade bíblica vá por água abaixo, ou se você não entende a bíblia, por favor não desmereça a ciência, pois eu garanto se você tiver algum problema e precise de um médico, ou algo assim, é de um cientista que você vai precisar. Mesmo eu sendo um evolucionista jamais desmereci a religião e a importância dela no mundo, então não desmereça a ciência porque tua fé cega não que, e não seja esse cara fundamentalista, porque isso é ser escravo da religião, não seja e não deixe ela te cegar.
    Desculpe professor por postar assim, mas as vezes cansa ver esse tipo de coisa!

    • Bertone de Oliveira Sousa 20/06/2014 / 23:41

      Leandro, cansa mesmo. Algumas pessoas não entendem que quando a Bíblia e a ciência falam de origens, usam linguagens diferentes para reportar-se a coisas diferentes. Bem compreendidas, uma linguagem não invalida a outra, mas os radicais teimam em não querer entender isso.

  7. Miguel 21/06/2014 / 4:44

    Bertone,

    Miguel, esse texto não diz nada com nada, só tem achismos de dois jornalistas que não apresentam nada em termos de pesquisa.

    O evolucionista que fala nesse texto diz muito das suas dúvidas sobre a teoria da evolução. Por exemplo:

    * Falta-nos [aos evolucionistas o registo fóssil da cognição humana, e como tal nós inventamos histórias.

    * O problema principal é a pobreza do registo fóssil. Apesar dos fósseis hominídeos que se alongam para trás no tempo até a mais ou menos 4 milhões de anos, não podemos ter a certeza que qualquer um deles está na nossa linha ancestral..

    * Eu não faço a mínima ideia do que a capacidade craniana [dum fóssil hominídeo] significa. (…) O que é que um tamanho particular dum cérebro nos diz acerca das capacidades do animal agarrado a esse mesmo cérebro?

    * Nós estamos com dificuldades sérias em tentar reconstruir a evolução da cognição.

    E aí por diante. Nota que quem disse essas coisas não foi um “religioso” mas um evolucionista. Que tipo de argumento tu tens contra o que este evolucionista diz sobre a vossa teoria da evolução?

    Se calhar o melhor é vocês evolucionistas resolverem a questão entre vocês e DEPoIS apresentarem ao mundo a vossa “teoria”, não?

    Em geral, as pessoas que querem “refutar” a evolução não têm nada de novo ou de importante a apresentar. Isso aí tá muito ruim.

    Se calhar não é preciso apresentar nada de novo porque as coisas mais antigas ainda não foram refutadas, não?

    Mais evolucionistas a debater entre si:

    – Ateu Critica Darwinistas Dogmáticos http://wp.me/pbA1e-Kb

    • Bertone de Oliveira Sousa 21/06/2014 / 10:57

      Miguel, já conheço os argumentos contra a Evolução e como eu disse, seu texto só tem achismos, nada de relevante. A Evolução é a base de toda a nossa ciência e cientistas não evolucionistas a criticam ou por despeita pessoal com outros pesquisadores ou por sua visão religiosa, ou na melhor das hipóteses, por disseminarem teorias de conspiração. Essas citações que você colocou nem chegam a ser argumentos. O melhor que já apresentaram como alternativa foi o Intelligent Design, que parte de nada e chega a lugar nenhum. Você está usando autores e referências duvidosas. Essas “refutações” são pífias, você não encontra isso, por exemplo, na Scientific American, que todos sabem ser uma referência em divulgação de novas pesquisas. Há uma imensa bibliografia sobre as evidências da Evolução, da paleontologia à biologia que qualquer um pode encontrar, até em manuais de Ensino Médio. Essa conversa de que fósseis são inventados só cola para ignorantes. E como eu disse, ninguém vai te levar a sério com toda essa propaganda anti-científica.

  8. Miguel 21/06/2014 / 8:10

    Leandro:

    Caro colega Miguel, somente na sua cabeça, ou se você aprendeu algo com algum padre fundamentalista. Por favor vá informar-se, vá ler a respeito da descendência com modificação ou evolução, algo tão simples e você com o seu fundamentalismo religioso, não consegue enxergar a realidade.

    AMigo, tu tens que dizer isso aos cientistas não-religiosos que lançam duras críticas à teoria da evolução.

    Deixei em cima um link (http://bit.ly/1p2lNGA) e deixei maus um (http://wp.me/pbA1e-Kb).

    Que tipo de argumento tens tu contra os argumentos destes cientistas não religiosos?

  9. Miguel 21/06/2014 / 8:11

    * maus = mais

  10. Leandro 21/06/2014 / 19:45

    Mais uma vez são achismos!…
    Você é um religioso cego, não enxerga, ou não quer, porque esta com medo?
    Está com medo de que sua fé vá por água abaixo? Aos Críticos da evolução, também não viram nada, só estão lendo livros, não vão atras para ver, por isso é fácil criticar, se quer refutara algo, vá atras e trabalhe, mostre outro resultado, a evolução tem muito a resolver.
    Por exemplo, antigamente achava-se que híbridos não podiam se reproduzir, mas hoje a tartarugas marinhas que já estão na segunda geração de híbridos, isso é ferramenta da evolução, e a evolução e a seleção natural, precisam que tenha um certo estresse para ocorrer, por tanto os ateus que você postou, não sabem de nada, absolutamente nada, se eles querem algo para dizer, assim como você, vá e estude a evolução, e mostre de maneira honesta que Darwin ou Wallace estavam errados, horas a ciência nunca foi dona da verdade, e jamais será, sempre a algo novo a ser revisto.

    Nós não estamos aqui para fazer com que você desacredite em Deus, jamais longe disso, mesmo porque, como eu disse a religião é muito importante para as pessoas, não mostre a desonestidade por parte do criacionismo, e nem de ateus que são desonestos, a ciência esta tentando resolver um entendimento, não refutar a religião, cada um na sua.

    A evolução te ofende? Te disseram que nós viemos do macaco?…Foi isso?…No século de Galileo foi a mesma coisa, quando ele cogitou que a terra gira ao redor do Sol!…e assim foi com todas as descobertas, com todos os estudos que fizeram, e todos eram cristãos, porque isso agora?…Olha conheço um pastor que fala da evolução, ele não estuda, mas ele sabe que é real!

    De uma olhada nos estudos que a USP esta fazendo da evolução, vendo outros mecanismos que ela essa descendência usa.

    Miguel ninguém quer que você largue a religião por conta disso

    A ciência esta resolvendo muita coisa a esse respeito, ao qual os ditos ateus que você mostrou teriam que ver também para não ficar com o mesmo argumento errôneo como sempre, traga algo novo, algo fundamentado, algo que realmente seja interessante. Se não tiver nenhum estudo que você fez não me amole, já cansei do criacionismo cego.

    Professor, desculpe mais uma vez, mas já me cansei do cidadão, espero que ele não amole de novo se ele amolar de novo não responderei mais, pois creio que estarei dando “soco em ponta de faca”, mais uma vez desculpe, e obrigado pela paciência Bertone!

    • Bertone de Oliveira Sousa 21/06/2014 / 20:08

      Leandro, o Miguel só tá fazendo troça, nem ele mesmo acredita nas coisas que posta. Ele devia só dormir ou matar as aulas de biologia do Ensino Médio.

  11. Leandro 22/06/2014 / 10:47

    Tem razão Professor, é ficar dando “soco em ponta de faca”, deixe ele ficar fazendo a troça, e é só não dar atenção que ele vai embora…

    Desculpe mais uma vez professor, continue mesmo fazendo esse trabalho, muitos ficam incomodado com que você escreve, mas se incomoda, é porque realmente é bom!…

  12. Miguel 23/06/2014 / 2:30

    Leandro,

    Aos Críticos da evolução, também não viram nada, só estão lendo livros, não vão atras para ver, por isso é fácil criticar, se quer refutara algo, vá atras e trabalhe, mostre outro resultado, a evolução tem muito a resolver.

    Mas é isso mesmo que os ateus que criticam a teoria da evolução fazem. Tens algum argumento contra esses ateus que são contra a teoria da evoluçao?

    • Bertone de Oliveira Sousa 23/06/2014 / 15:05

      Miguel, embora seu comentário tenha sido dirigido ao Leandro, as questões que você tem colocado já foram respondidas nos comentários e já estão satisfatoriamente colocadas no texto. Peço que leia o menu “Política de comentários” item 3, pois seus posts estão se repetindo e se encaixando ali.

  13. Leandro 23/06/2014 / 20:01

    Caro Miguel!…Eu creio que já respondi, porque insiste!…sempre com os mesmos comentários!
    Já deixei claro que não vou mais responder, porque você esta cansando!
    Se você tem duvidas sobre evolução, ou a respeito dos ateus que por um acaso, não concordam com a evolução, ou será que o site no caso está sendo desonesto, tudo vale, é um site anti evolução a gente espera tudo, inclusive essa desonestidade por parte desse site.
    Como o Professor Bertone disse,você esta repetindo tudo que você já disse, e que ja lhe foi respondido.
    Miguel, eu não vou mais responder-te, por favor não insista!

    Talvez se você apresentar uma duvida nova, a gente tenta discutir! MAS SE VOCÊ APRESENTAR ALGO NOVO, OK!…ALGO NOVO!
    Fui claro!

    • Lucas 24/06/2014 / 5:16

      Leandro,
      Eu sou o Miguel.

      Caro Miguel!…Eu creio que já respondi, porque insiste!…sempre com os mesmos comentários!

      Por acaso, não. Eu apenas pergunto o porquê de cientistas ateus lançarem críticas à teoria da evolução, e vocês tentarem de algum modo dizer que toda a resistência à teoria é do foro religioso (o que é falso).

      É possível ser-se um bom cientistas não-religioso e ter argumentos válidos contra a teoria da evolução?

      Obrigado.

      (Bertone, eu não violei nenhuma regra da política de comentários; apenas estou focado num ponto específoco.)

    • Bertone de Oliveira Sousa 24/06/2014 / 13:26

      Miguel, você está focando em um ponto que já foi explicado, como eu disse, inclusive no texto. Para alguém ter argumentos válidos em qualquer área científica é preciso apresentar evidências. A Evolução é a base de toda a ciência porque já foi confirmada por variados testes e avanços técnicos, desde métodos avançados de datação de fósseis, como o carbono 14 e o potássio-argono ou a datação radiativa, pela genética, a astrofísica, a bioquímca, a geoquímica que confirmaram e ampliaram as observações que Darwin fez na Origem das Espécies e por áreas inteiras da ciência, como a Antropologia física, a paleontologia e a paleografia que se desenvolveram por causa do evolucionismo e deram contribuições importantes para a compreensão do processo evolutivo. Por isso, mesmo que alguém seja um bom cientista não religioso, não terá argumentos válidos contra a Evolução, porque até agora ninguém apresentou evidências suficientes para desconstruir as evidências que já foram coletadas por todas essas áreas do conhecimento listadas aí, ficando apenas no campo da especulação. A ciência se move pela especulação, mas a especulação, por si só, não é ciência e não pode desmontar uma concepção científica. Nenhuma evidência já foi sequer apresentada contra a seleção natural. Me parece que você sequer leu o Darwin. Ser um cientista supostamente ateu contra a evolução é o mesmo que ser um cientista cristão contra a evolução, porque nem um nem outro possuem algo de relevante para pôr em seu lugar. Pronto, depois disso se você não entender não entende mais nada. Se você quer começar a ler alguma coisa útil sobre a Evolução, leia o livro de Rebecca Stefoff, “Charles Darwin, a revolução da evolução”, o clássico de Carl Sagan, “O Mundo assombrado pelos demônios” e “Criação Imperfeita” do Marcelo Gleiser e leia o site cujo link está aí ao lado, “Darwin was right. Não volte sem ter feito essas leituras.

    • Roni Kurono 24/06/2014 / 18:27

      Fim da picada. O cara usou de falácia de apelo á autoridade o tempo inteiro.

      “Um cientista ateu disse que a evolução é falsa, logo a evolução é falsa”. Haja paciência.

      E ele citou logo quem para isso? O Dr. Richard Lewontin, um cientista conhecido por dar diversas contribuições à Teoria da Evolução, inclusive até trabalhou junto com evolucionistas eminentes como Stephen Jay Gould.

      Daí o cara dá supostas declarações contra a Evolução e todas as pesquisas que ele já fez no campo ficam inválidas? Chega a ser patético.

      E pra esclarecer: assunto aí é Evolução da Inteligência humana – que é um subcampo da Evolução e NÃO TODA a Teoria da Evolução. As declarações do Dr. Lewotin nesta palestra foram acerca da Evolução da Cognição, o próprio título do artigo do jornalista Michael Balter deixa claro: “Como A INTELIGÊNCIA HUMANA EVOLUIU – Será Ciência ou ‘Paleofantasia’?“. Em outras palavras, essas declarações não comprometem em NADA a Teoria da Evolução, apenas questiona um subcampo dela: “Falta-nos o registo fóssil da COGNIÇÃO HUMANA, e como tal nós inventamos histórias.”

      O autor do artigo do darwinismo.wordpress pegou declarações de duvida de um cientista a respeito de um subcampo da Teoria evolutiva e usou como se ele tivesse colocando em dúvida TODA a Teoria da Evolução. É muita desonestidade!

  14. Leandro 24/06/2014 / 14:18

    Ufa! Professor você veio para dar um basta nisso, realmente se o cara não entender, não irá entender mais nada. Eu ainda quero entender porque ele está focando nos atues que questionam a evolução, mas calma lá, com pequenas frases retiradas do que realmente eles estão se perguntando, assim fica fácil ele querer debater! que mostre-nos os textos inteiros, do que esses cara tem duvidas!…
    Só porque os caras tem duvidas isso não quer dizer que a evolução seja invalida!…os caras tem que ter algum conhecimento sei-lá, não somos os reis do conhecimento.Há muitas perguntas a responder a respeito da evolução, pelo que vi o cientista Jerry Fondor, esta sendo o “Pondé americano”, que foi para a “direita”, e mais o cara é um filósofo que questiona a evolução, eu acho bem simples ele ir pegar em fosseis e outros estudos para responder as perguntas que ele faz a respeito Pofessor!

    De uma olhada professor nesse Filósofo e cientista americano, veja se o cara é ou não um “Pondé”. Eu acho que esses caras tem muito o que estudar para chegar as conclusões que chegam sem ao menos procurar evidências. Aqui na faculdade onde estudo, nós estamos vendo rochas e fósseis, mas claro o meu interesse maior é em fósseis, acho difícil, uma pessoa que já observou fósseis dizer ao contrario da evolução, pois as evidencias apontam para tal, sem sombra de duvidas, volto a repetir se alguém quer que a evolução vá por água abaixo, porque não vai atras de evidencias fósseis.

    Mas tudo bem Professor, é normal isso acontecer, alguns acham uma afronta dizer que viemos de um ancestral comum, e que somos parentes de répteis, aves e outros primatas, só porque não nos parecemos com um gato não quer dizer que não somos parentes dele.
    Enquanto ao tal ateus o Sr. Jerry Fondor, que o Miguel (Lucas), esta questionando, é o tal do filósofo e cientista norte americano, ao qual já citei a cima, e além do que eu disse, pode ser questões naturais, é que eu não sei direito o Inglês, para efetuar uma leitura do filósofo, mas vamos que vamos.

    Obrigado Professor, e mais uma vez desculpa!

  15. Leandro 24/06/2014 / 20:47

    Isso mesmo Roni!…é o que eu queria dizer mas acabei não conseguindo, mas é isso aí mesmo, o cara quer postar a desonestidade, que isso, é ridículo. esse site darwinismo.wordpress é muito ruim. Mas sempre vai ter essas brigas entre ciência e a religião, foi assim desde sempre.

    Valeu, abraço, e vamos sempre desmistificar a bobagem dos fundamentalistas religiosos!

  16. Marcos VF Gonçalves 29/06/2014 / 21:33

    Bertone, fugindo parcialmente do tema do texto, gostaria de saber se concordas comigo no pensamento de que o principal argumento dos criacionistas para refutar teorias como Big Bang, criacionismo e a existência de um Deus, seja de que o universo não teria sido originado do “nada” ou espontâneamente por conta que isso seria dar margem à um Criador. Ora, eles dizem “Quem criou o Universo, quem iniciou o Big Bang?”, coisas do tipo. Bom, mas pensar dessa maneira (muitos acreditam e popularizaram essa ideia) não seria ao mesmo tempo servcontraditório também. Afinal, e quem criou Deus? Deus foi criado? Sempre existiu? Entende onde quero chegar? Para mim, pensar assim é profundamente incoerente. O universo assim como Deus pode não ter sido criado ou até mesmo ser atemporal. Por que se tudo ter tido uma criação, estaríamos num ciclo infinito, onde até Deus cairia nesse ciclo. Ou para eles , dois pesos, duas medidas? Bom, se entendeu o que eu quis dizer, acrescente sua opinião, discorde ou faça o que quiser, rsrsrs. Obrigado, por Marcos.

  17. Marcos VF Gonçalves 29/06/2014 / 21:38

    Apenas corrigindo, meu último comentário. Quis dizer refutar Big Bang, evolucionismo, e ao mesmo tempo, enaltecer o criacionismo e a existência de Deus. Argumentei contra estes. Obrigado!

    • Bertone de Oliveira Sousa 29/06/2014 / 22:35

      Marcos, se você quiser “enaltecer” o criacionismo, recomendo que faça as mesmas leituras que indiquei ao Miguel aí acima.

    • Marcos VF Gonçalves 30/06/2014 / 22:30

      Bertone, você entendeu tudo errado. Por favor, leia o meu comentário antes publicado aqui , abaixo. O comentário acima foi uma correção de parte do texto. Parecia que eu estava enaltecendo o criacionismo, mas não. Estava fora do contexto. Você não me compreendeu, então Leia o verdadeiro comentário abaixo e me responda, obrigado.

      “Bertone, fugindo parcialmente do tema do texto, gostaria de saber se concordas comigo no pensamento de que o principal argumento dos criacionistas para refutar teorias como Big Bang, criacionismo e a existência de um Deus, seja de que o universo não teria sido originado do “nada” ou espontâneamente por conta que isso seria dar margem à um Criador. Ora, eles dizem “Quem criou o Universo, quem iniciou o Big Bang?”, coisas do tipo. Bom, mas pensar dessa maneira (muitos acreditam e popularizaram essa ideia) não seria ao mesmo tempo ser contraditório também. Afinal, e quem criou Deus? Deus foi criado? Sempre existiu? Entende onde quero chegar? Para mim, pensar assim é profundamente incoerente. O universo assim como Deus pode não ter sido criado ou até mesmo ser atemporal. Por que se tudo ter tido uma criação, estaríamos num ciclo infinito, onde até Deus cairia nesse ciclo. Ou para eles , dois pesos, duas medidas? Bom, se entendeu o que eu quis dizer, acrescente sua opinião, discorde ou faça o que quiser, rsrsrs. Obrigado. ”

      Uma pena q você tenha entendido tudo errado.Você não leu meu comentário anterior. Eu, muito pelo contrário, estava corrigindo uma frase do texto que havia digitado. Sou adepto do evolucionismo, e sigo o Deísmo. Diferente do que pôde ter parecido.

  18. Marcos VF Gonçalves 30/06/2014 / 22:35

    Espero que tenha entendido o engano mútuo. Meu, que me expressei mal.E seu, sem culpa, que entendeu errado. Além disso, na sua opinião, o relativismo dos sofistas é real e pode ser ingressado na política?

    • Bertone de Oliveira Sousa 30/06/2014 / 22:57

      Marcos, realmente entendi errado seu comentário (embora nunca aprove sem ler), mas me escapou esse tom deísta que você deu ao comentário, o que pra mim tornou confusa sua defesa do evolucionismo. Nesse caso retiro as recomendações e vou deixá-las apenas para outros leitores, criacionistas e religiosos, que eventualmente possam pairar por aqui. Então deixo aqui a retratação. Agora, só uma observação: embora o deísmo tenha exercido uma importância ímpar no século 18, inclusive no tocante ao avanço da ciência, creio que colocar as coisas dessas forma, “o universo assim como Deus pode não ter sido criado”, gera mais confusão do que compreensão. Isso porque embora a ciência não elimine a possibilidade da existência de Deus, Deus e o universo são categorias diferentes, exceto para quem adota uma concepção imanentista de Deus. Prefiro deixar Deus para a teologia e o universo para a ciência. Podemos dizer que ainda engatinhamos na compreensão do cosmo, mas é possível que Deus não seja uma questão científica, isto é, que a ciência, a despeito de todos os seus avanços técnicos, não pode oferecer respostas empíricas a respeito de Deus para quem as procura por esse meio.

      Sobre os sofistas (embora isso já fuja totalmente ao foco do texto), vou ter que pedir que reformule sua questão: como assim relativismo real e como assim ingressar na política?

    • Marcos VF Gonçalves 30/06/2014 / 23:24

      Bom, Como você sabe, os sofistas (de fato, fugi totalmente do foco) sofreram um preconceito entre os estudiosos por conta da concepção que Platão e Aristóteles deram aos mesmos. Dentre os sofistas, Protágoras acreditava no relativismo. Gostaria de saber o que o senhor pensa sobre o relativismo (moral, sobretudo) e se de alguma forma seria possível estabelecer seus princípios na política? Por exemplo, o relativismo diz que não existe certo e errado, sendo ambos uma convenção de uma determinada civilização a partir da Cultura ou religião. Logo, o senhor acredita num possível ingresso do relativismo na nossa conduta moral (uma antítese, já que moral perde sentido com o relativismo) ou seria utopia minha?

    • Bertone de Oliveira Sousa 01/07/2014 / 12:44

      Embora o relativismo moral de nossa época esteja mais relacionado ao niilismo e à desconstrução da metafísica cristã, foram os sofistas que inauguraram esse princípio no pensamento ocidental e os princípios que eles desenvolveram é a base da política democrática, já que coloca a verdade como um jogo da linguagem, uma convenção social, não havendo um princípio que comande a tudo.

  19. Edson Silva 19/12/2016 / 13:15

    EVOLUÇÃO: uma teoria inconveniente
    Temos visto no Brasil, país supostamente laico, uma intromissão teológica nos assuntos de Estado de fazer inveja a qualquer ditadura teológica passada ou contemporânea. Pastores, padres e toda uma plêiade de sacerdotes de todos os matizes desfilam pelo parlamento brasileiro e dão entrevistas aos diversos meios de comunicação de massa falando de teorias científicas e criticado-as como se fossem prêmios Nobel da ciência, especialmente da ciência biológica. Passado o riso, o que me fica é o espanto, espanto de ver pessoas que nada sabem de ciência, metodologia científica e biologia emitirem opiniões equivocadas e românticas sobre Evolução, Seleção Natural e outros temas científicos, e a acolhida “acéfala” de grande parte da imprensa brasileira. Ora, esses senhores, que se arvoram em arautos dos seus “rebanhos”, como eles mesmos se definem, deveriam ser mais modestos e menos arrogantes, abdicarem de pseudos discursos científicos e se limitarem a suas divagações teológicas! Para eles, nobres hipócritas da palavra, a teoria da evolução é uma teoria muito inconveniente!

    A proposta deste escrito é fazer uma crítica radical a essa intromissão descabida e imprópria da teologia em assuntos científicos e de Estado, quando este mesmo Estado, deve, segundo sua própria Constituição, ser laico e desprovido de ideologias religiosas. Quando falo “uma crítica radical”, estou me referindo a uma crítica que pega o problema pela raiz, que vai ao encontro do mais profundo, daquilo que não é dito, mais é defendido, ou daquilo que é tido mais é manipulado, maquiado, ou para falar de forma semântica, daquilo que tem sentido ideológico.
    Sabemos através da narrativa histórica que a teologia, principalmente a teologia cristã, primeiramente com o catolicismo e depois com o protestantismo em suas diversas expressões, sempre teve a filosofia como serva da teologia, escravizando-a de acordo com os seus interesses. Ora, isso pode ser dito, em certa medida, sobre a relação entre ciência e teologia, sabedores que somos sobre os muitos descalabros e impropérios que a teologia vez a ciência passar. Casos emblemáticos na História da Ciência não faltam, só para citar, o esdrúxulo julgamento de Galileu, que apesar de todos os seus estudos e experimentos empíricos teve que abdicar da sua certeza de que o sistema solar era heliocêntrico para escapar da morte, como herege, na fogueira santa. Sobre o destino cruel de Giordano Bruno – a igreja dizia que sua cosmologia era herética e diabólica – todos nós sabemos, foi “torrado” na fogueira santa da Santa Inquisição. Portanto, sem meias palavras, a despeito do que pastores, padres e demais religiosos possam pensar sobre este escriba, provavelmente vão me condenar ao fogo do inferno, deixem a ciência em paz, larguem do pé dela, cuidem de suas divagações metafísicas e não se intrometam onde não devem e não fazem falta. Se tivermos (a ciência), alguma área do conhecimento para fazer uma parceria fecunda, e tem sido feito, é com a ética, principalmente a Ética Prática no estilo Peter Singer, a teologia não tem nada a contribuir significativamente para com a ciência, ao contrário, pode atrasá-la e até prejudica-la.
    Bem, não estou aqui para fazer uma apologia a favor do ateísmo, pois isso já foi feito de forma retumbante por Richard Dawkins, em seu Deus: um delírio. Estou aqui para dissertar e advogar, apesar de não ser advogado e Darwin não ter pedido isso para mim, a favor da ciência e da Teoria da Evolução e de seus corolários, especialmente da seleção natural. Portanto, aos religiosos que se sentirem ofendidos, sugiro, da próxima vez que sentirem uma dor e qualquer patologia surgir, que não busquem um bom médico, embasado em conhecimento científico, mais façam uma dança ao redor de uma fogueira e orem para Thor, Zeus, Baal ou no que acreditarem! O contrário disso foi o que fez um famoso pastor evangélico, apesar de em suas pregações noturnas ao vivo em rede nacional de televisão prometer curar todo o tipo de dor, exorcizar demônios e curar doentes mentais, quando foi à vez dele ficar doente correu para o Hospital Sírio Libanês em São Paulo, referência no que há de mais moderno na medicina científica e tecnológica atual!

    http://www.zooetologia.bio.br/2016/07/evolucao-uma-teoria-inconveniente.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s