Anti-educação como projeto de sociedade

escola-educaçãoChamamos de anti-intelectualismo a postura que se caracteriza essencialmente pela hostilização a intelectuais e suas obras. Tal postura pode se manifestar de diferentes formas: ataques verbais, intimidação por grupos organizados da sociedade civil ou paramilitares, tentativas de censura por meio de projetos de lei e ações governamentais e, em casos mais extremos, exílio, prisões, destruição de livros ou bibliotecas e até a condenação à morte de intelectuais. Continuar lendo

Anúncios

O fascismo tropical de Bolsonaro e Mourão

Bolsonaro-mourãoComo doutrina de Estado, o fascismo foi derrotado na Segunda Guerra Mundial. Sua emergência, na década de 1920, esteve diretamente relacionada às consequências da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e à ascensão do Bolchevismo na Rússia, de quem o fascismo plagiou várias práticas e ideias, colocando-as a serviço de um pensamento conservador e contrarrevolucionário. Continuar lendo

Razões para não crer em Deus(es)

Por que uma pessoa se torna ateia ou agnóstica? Em muitos países, o número de pessoas que não creem numa divindade se iguala ou supera o dos que creem. Embora a descrença religiosa moderna tenha cerca de dois séculos de existência, ainda é incompreendida por muitas pessoas, onde a ausência de uma educação básica e científica de qualidade faz a descrença ser estranha e repudiada por muita gente.  Continuar lendo

Os 200 anos de nascimento de Karl Marx

karl-marx-statue-germany
Inauguração da estátua de Marx, em Trier, Alemanha, 05 de maio de 2018

Neste dia cinco de maio estamos lembrando os duzentos anos do nascimento de Karl Marx. Não há qualquer dúvida para quem está no campo das ciências humanas que Marx não apenas foi um dos maiores filósofos de todos os tempos, como também um dos principais intérpretes da sociedade industrial do século XIX. Ele só pode ser uma figura controversa para quem o detesta ou não compreende seu pensamento. Continuar lendo

Por que Lula e o PT não devem voltar à presidência

LulaLula deixou a presidência da República em 2010 com cerca de 85% de aprovação e apenas cinco anos depois do Mensalão, pelo qual foi poupado de um impeachment. Além da aprovação recorde, Lula também nos deixou um duro legado: os postes sem luz Dilma e Temer e sua política de arrochos fiscais e retração do bem-estar social. Agora Lula está preso e em hipótese alguma nem ele nem seu partido devem voltar ao Planalto. Continuar lendo

Cursos universitários sobre o “golpe” de 2016: aonde vamos chegar?

golpe-7Um professor da Universidade de Brasília organiza um curso sobre o que ele chama de golpe de 2016, numa referência ao impeachment da ex-presidente Dilma. O MEC intervém. O ministro da Educação Mendonça Filho diz que a universidade não pode usar da liberdade de cátedra para fazer propaganda ideológica. O caso repercute. A atitude do ministro gera um efeito dominó. Em poucos dias, cursos sobre “golpe de 2016” são organizados em pelo menos dez universidades públicas Brasil afora. Estava errado o professor da UnB. Estava mais errado ainda o ministro da Educação. Continuar lendo